10735230_768154743222817_1438658700_n-1.jpg

Apresentação da Programação da XX Edição



Há algum tempo afir­má­mos que falar de cinema por­tu­guês não é fácil. E agora cons­ta­ta­mos, mais uma vez, que não é. De 2012 a esta data pas­sa­ram-se dois anos. Dois anos em que se viveu a angús­tia do ano zero, no que toca ao finan­ci­a­mento público ao sec­tor, com uma pro­du­ção cine­ma­to­grá­fica redu­zida e onde não nos foi pos­sí­vel encon­trar os apoios, públi­cos e pri­va­dos, neces­sá­rios para tor­nar pos­sí­vel a rea­li­za­ção deste fes­ti­val.


Não come­te­mos lou­cu­ras, como outros, mas jamais desis­ti­mos da nossa mis­são e é pelos peque­nos ges­tos que encon­tra­mos o incen­tivo a ence­tar um esforço sobre-humano na pro­mo­ção dos Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês. Cre­mos que sem as for­tes rela­ções, com a mai­o­ria dos pro­du­to­res e ins­ti­tui­ções, cri­a­das ao longo des­tes vinte anos de his­tó­ria, não seria pos­sí­vel ter a res­posta mas­siva aos nos­sos anún­cios e atin­gir a qua­li­dade patente na pro­gra­ma­ção de cada edi­ção do fes­ti­val.


Dos estu­dan­tes aos pro­fis­si­o­nais, da ani­ma­ção à fic­ção sem esque­cer o docu­men­tá­rio, todo o cinema por­tu­guês está ins­crito na nossa his­tó­ria. Sau­da­mos, mesmo aque­les que rejei­ta­ram a par­ti­ci­pa­ção em prol de outras pre­mi­a­ções, todos os que aju­dam a cons­truir um pano­rama cine­ma­to­grá­fico naci­o­nal todos os anos. De igual forma agra­de­ce­mos a todos os par­cei­ros e patro­ci­na­do­res que apoiam a pro­du­ção e per­mi­tem a divul­ga­ção deste sin­gu­lar evento.


É com enorme agrado que vos anun­ci­a­mos que das mais de qua­tro­cen­tas ins­cri­ções nos foi pos­sí­vel selec­ci­o­nar e pro­gra­mar 37 fil­mes, pro­du­zi­dos em con­texto aca­dé­mico, na selec­ção ensaios e 63 fil­mes para a Selec­ção Cami­nhos. Estes núme­ros per­mi­tem-nos repre­sen­tar a enorme com­pe­ti­ti­vi­dade e qua­li­dade da pro­gra­ma­ção de ambas as sele­ções ao longo de mais de qua­renta horas de pro­jec­ção.


É nosso papel con­ti­nuar a pro­mo­ver a recon­ci­li­a­ção do público com o nosso cinema, seja pela dis­cus­são, pro­mo­ção e pre­mi­a­ção que o fes­ti­val tem apre­sen­tado ao longo dos anos, como pelos nos­sos pro­gra­mas for­ma­ti­vos. O curso Cine­ma­lo­gia — Da ideia ao Filme pro­move o con­tacto directo entre for­man­dos e os mai­o­res espe­ci­a­lis­tas e téc­ni­cos cine­ma­to­grá­fi­cos por­tu­gue­ses cons­truíndo um pro­duto cine­ma­to­grá­fico, uma curta-metra­gem, desde a sua con­cep­tu­a­li­za­ção, da ideia, até ao seu objecto final, o filme. É com rego­zijo que con­ta­mos con­se­cu­ti­va­mente com a cola­bo­ra­ção dos con­sa­gra­dos e dos novos talen­tos cine­ma­to­grá­fi­cos para tra­zer tam­bém a pro­du­ção cine­ma­to­grá­fica à Uni­ver­si­dade e à cidade de Coim­bra. Afi­nal de con­tas que melhor con­tri­buto pode­mos dar, onde vive­mos e tra­ba­lha­mos, que a eter­ni­za­ção do nosso patri­mó­nio, mate­rial e ima­te­rial, no grande ecrã.


Não pode­mos dei­xar de dar uma pala­vra de apoio aos que hoje não podem estar aqui pre­sen­tes e dese­jar uma rápida con­va­les­cença para que a sua ale­gria nos con­ta­gie e pos­si­bi­lite levar a cabo este pro­jecto da melhor forma.

São vinte anos com todo o cinema por­tu­guês, e o nosso con­vite não pode­ria ser outro! De 1422 de Novem­bro venham conhe­cer, e apoiar, o nosso cinema.

Related Posts