sel-caminosArtboard-1.jpg

Apresentação da Seleção Caminhos

Todos os anos nos são apre­sen­ta­dos novos tipos de desa­fios aquando da selec­ção e pro­gra­ma­ção do cinema cri­ado no nosso país. Mesmo rece­bendo ape­nas aque­las obras que foram pro­du­zi­das depois da nossa última edi­ção, vemos que anu­al­mente o fluxo de ins­cri­ções tem sido cons­tante e muito diverso.

Ape­sar de acre­di­tar­mos que nem tudo o que se mexe em ecrã deva ser con­si­de­rado cinema, todas as ins­cri­ções são colo­ca­das ao mesmo nível de aná­lise, des­pren­dendo-nos de cri­té­rios for­mais (como o autor ou a pro­du­tora) e ansi­ando pela cri­a­ção de momen­tos cine­ma­to­grá­fi­cos em sala. Esses momen­tos vêm de fora para den­tro, pois tudo den­tro de nós é movi­mento que – devi­da­mente ins­pi­rado – nos leva a esca­par os limi­tes físi­cos desta rea­li­dade, cri­ando o filme uma nova forma de exis­tir que, como é inte­rior, é só nossa.

A vida é um género de orques­tra de movi­men­tos, for­mas e rit­mos que podem ser cap­ta­dos pelas ima­gens que ganham vida atra­vés da nossa cór­nea. A marca sim­bó­lica de que o cinema é uma expe­ri­ên­cia indi­vi­dual é-nos mos­trado pela sala escura, que nos leva a uma con­cen­tra­ção pro­funda nessa via­gem soli­tá­ria acom­pa­nhada, com o nosso olhar fixo na única fonte de luz da sala, sol­tando-nos do banco e pulando direc­ta­mente para a rea­li­dade que o filme nos apre­senta, como que nos meta­mor­fo­se­ando na pró­pria câmara.

Essa expe­ri­ên­cia tem sido apre­sen­tada aos nos­sos espec­ta­do­res anu­al­mente, sendo enri­que­cida por aquela von­tade invi­sí­vel do fazer dife­rente que carac­te­riza o cinema por­tu­guês desde os tem­pos do Novo Cinema. Há nas obras por­tu­gue­sas essa mos­tra de que o tempo e o espaço dei­xam de ser con­tí­nuos e que pode­mos viver uma vida fic­tí­cia (ou real, mas que nos per­tence ape­nas por ins­tan­tes) inde­pen­den­te­mente do período que retrata e afas­tando-se assim da clás­sica fotografia.

Este ano pode­mos afir­mar exis­tir uma mudança no con­texto da selec­ção. Per­ce­be­mos que alguns fil­mes (tal­vez pou­cos) já têm uma máquina de divul­ga­ção mon­tada, com toda uma dis­tri­bui­ção e comer­ci­a­li­za­ção devi­da­mente edi­fi­ca­das que anu­al­mente as pro­du­to­ras mais têm inves­tido. Desta feita, que­rendo ser os Cami­nhos uma mon­tra de todo o cinema por­tu­guês – e não uma repo­si­ção ou amos­tra de fil­mes – ten­ta­mos mos­trar tam­bém aque­las obras que gra­ças à sua qua­li­dade mere­cem ser mos­tra­das em grande tela, mas que por uma razão ou por outra não con­se­gui­ram o espaço neces­sá­rio para a sua dis­tri­bui­ção e mos­tra mere­ci­das. Mui­tos jor­nais e meios de comu­ni­ca­ção de crí­tica cine­ma­to­grá­fica aca­bam por ficar cen­tra­dos naquilo que já tem dis­tri­bui­ção, que já é conhe­cido, que o espec­ta­dor já viu. Que­re­mos levar o máximo número de pes­soas a ver cinema naci­o­nal, mas exis­tem efec­ti­va­mente casos que recu­sam essa nossa ajuda.

Nesta XXII Edi­ção, vamos ter uma Selec­ção Cami­nhos com uma série de fil­mes que terão a sua pri­meira pro­jec­ção em ter­ri­tó­rio naci­o­nal nas nos­sas ses­sões, dando pos­si­bi­li­dade ao espec­ta­dor comum (aquela que já vai ao cinema) de encon­trar todos os dias novas obras, novos rea­li­za­do­res, novos artistas.

Entre cor­res­pon­dên­cias, fugas e guer­ras, o espec­ta­dor desta edi­ção irá encon­trar aquele alento que anu­al­mente ten­ta­mos exal­tar nesta Selec­ção, fazendo com que todas as pes­soas encon­trem a sua iden­ti­fi­ca­ção para essa via­gem cine­ma­to­grá­fica que pro­po­mos em cada uma das edi­ções deste festival.

Por isso, em nome de toda a Orga­ni­za­ção da XXII Edi­ção dos Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês, con­vi­da­mos todos a par­ti­ci­pa­rem nesta festa do cinema naci­o­nal. Neste evento que divulga e cele­bra a cul­tura cine­ma­to­grá­fica por­tu­guesa e todos os seus par­ti­ci­pan­tes e dina­mi­za­do­res culturais.

Venha conhe­cer todo o nosso cinema, de 1926 de Novembro!

Programação Seleção Caminhos

Mosteiro de Santa Clara-a-Nova
19 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Banho de Paragem* Nuno Rocha (coord.) Cami­nhos 1359
#Lingo* Vicente Niro MIA /​IPCA 1030
Refri­ge­ran­tes e Can­ções de Amor Luís Gal­vão Teles Fado Fil­mes 96
Teatro Académico de Gil Vicente
20 de Novembro, 15h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Senhor Jaime Claú­dio Sá 8
Brother André Mar­ques 16
Fei­tos e Ditos de Nas­red­din II Pierre-Marie Gou­let 30
A Um Mar de Distância Pedro Magano Pix­bee 54
Teatro Académico de Gil Vicente
20 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Já Vais Julio Hey 5
Lan­ding Filipe Mar­tins 16
Eldo­rado Rui Edu­ardo Abreu, Thi­erry Bes­se­ling e Loïc Tanson 84

Mas­ter­ses­sion:
A Dança e o Cinema

Teatro Académico de Gil Vicente
20 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Esti­lha­ços José Miguel Ribeiro 18
Os Cra­vos e a Rocha Luísa Sequeira 16
Car­tas de Guerra Ivo M. Ferreira O Som e a Fúria 105
Teatro Académico de Gil Vicente
21 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Noiva Ber­nando Gomes de Almeida 7
Menina Simão Cayatte 15
Longe José Oli­veira 36
Jogo de Damas Patrí­cia Sequeira 87
Teatro Académico de Gil Vicente
21 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Cha­tear-me-ia mor­rer tão joveeeeem… Filipe Abran­ches 16
Penum­bria Edu­ardo Brito 9
Zoo­tró­pio Tiago Rosa-Rosso Real Fic­ção 16
John From João Nico­lau O Som e a Fúria 100

Mas­ter­ses­sion:
Foto­gra­fia e Cinema

Teatro Académico de Gil Vicente
22 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Rochas e Minerais Miguel Tava­res 10
Way Pedro Carmo 15
Uma Vida à Espera Sér­gio Graciano 93
Teatro Académico de Gil Vicente
22 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Fim de Linha Paulo D’Alva e Antó­nio Pinto 14
Pedro André San­tos e Marco Leão 20
Zeus Paulo Filipe Monteiro 93
Teatro Académico de Gil Vicente
23 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Uma Breve His­tó­ria da Prin­cesa X Gabriel Abran­tes 7
O Pecado de Quem nos Ama Vasco Oli­veira 31
Cru­zeiro Sei­xas – As Car­tas do Rei Artur Cláu­dia Rita Oliveira Jump­cut 85
Teatro Académico de Gil Vicente
23 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Ascen­são Pedro Peralta Ter­ra­treme 18
Campo de Víboras Cristèle Alves Meira 20
Orna­mento e Crime Rodrigo Areias Bando à Parte 90
Teatro Académico de Gil Vicente
24 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Tom Filipa Ruiz 1
O Nome Dela Pedro Lino 19
Excur­sões Denis Côte 23
Como me apai­xo­nei por Eva Ras André Gil Mata 74
Teatro Académico de Gil Vicente
24 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Maca­bre Jeró­nimo Rocha e João Miguel Real 20
Por Dia­bos Car­los Amaral 11
Gelo Luís Gal­vão Teles & Gon­çalo Gal­vão Teles Fado Fil­mes 105
Teatro Académico de Gil Vicente
25 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
A Casa ou Máquina de habitar Cata­rina Romano 12
Vícios para uma Famí­lia Feliz Tiago R. Santos 15
Los Bar­cos Dominga Soto­mayor 10
Visita ou Memó­rias e Confissões* Manoel de Oliveira 73
Teatro Académico de Gil Vicente
25 de Novembro, 21h45

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Con­fi­dente Karen Aker­man e Miguel Sea­bra Lopes 13
Setem­bro Leo­nor Noivo 37
O Cinema, Manoel de Oli­veira e Eu João Bote­lho 80

Mas­ter­ses­sion:
Argu­mento e Cinema

Teatro Académico de Gil Vicente
26 de Novembro, 15h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Sen­das Raquel Fel­guei­ras Fil­mó­grafo 5
Pre­firo Não Dizer Pedro Augusto Almeida 10
Retra­tos a Preto e Branco Rui Simões 27
Cabo­ver­de­a­na­mente João Sodré Fado Fil­mes & Ukbar Filmes 50
Teatro Académico de Gil Vicente
26 de Novembro, 17h00

Título Rea­li­za­dor Pro­du­tora Dura­ção
Balada de um Batráquio Leo­nor Teles 11
Cor­res­pon­dên­cias Rita Aze­vedo Gomes C.R.I.M. 125

* fora de com­pe­ti­ção /​out of competition

Enre­gis­trer

Enre­gis­trer

Related Posts