unnamed.jpg

Crónicas de Programação – V


17h30
Con­si­de­ra­mos o Cinema Por­tu­guês uma obra ela­bo­rada por várias mãos. É inte­res­sante repa­rar no fenó­meno de novos rea­li­za­do­res que bro­tam anu­al­mente, com inte­res­san­tes pro­du­ções que mere­cem ser mos­tra­das. Não é por acaso que sur­giu a cate­go­ria Selec­ção Novís­si­mos’ que tem no seu cerne a ide­o­lo­gia de mos­trar pri­mei­ras obras, cuja ins­pi­ra­ção é vari­ada.
Nave­ga­mos pri­mei­ra­mente com uma ani­ma­ção de Car­los Silva e Pedro Almeida, Nave­gar’, cujo ponto de par­tida são dese­nhos esbo­ça­dos pela intér­prete aquando de cinco anos de idade. A ino­cên­cia dos tra­ços demons­tra sen­ti­men­tos tão puros como o amor. A via­gem con­ti­nua agora para os anos 20 do século pas­sado, mer­gu­lhando num antigo sana­tó­rio, onde hoje as salas estão pre­en­chi­das não por paci­en­tes, mas por memó­rias. Aldeia dos Tísi­cos’ de Hugo Dinis Neves, mos­tra-nos assim remi­nis­cên­cias docu­men­ta­das de um pas­sado que se encon­tra dema­si­ado pre­sente na zona do cara­mulo. Acima de tudo somos momen­tos, e é isso que nos mos­tra Pedro Sousa no seu Silên­cios de um Gesto’. O tempo cor­rói os momen­tos, e o rea­li­za­dor dese­jou cris­ta­liza-los atra­vés de cap­tura de ges­tos silen­ci­o­sos da sua filha.
Pedro Augusto Almeida mos­tra-nos um retrato de um dia banal de um pro­ta­go­nista, que lhe rou­ba­ram tanto a bici­cleta como espe­ran­ças de um futuro. Em Por Aqui Nada de Novo’, encon­tra­mos um diá­logo, uma ami­zade banal, uma refle­xão sobre o estado da pró­pria vida do pro­ta­go­nista, a inér­cia.
A ses­são das 17h30 con­ti­nua com pri­mei­ras obras, agora de Isa­bel Medina, com o seu cho­cante e real Caça­do­res de Anjos’, que nos alerta sobre vio­lên­cia exer­cida sobre as mulhe­res nos dias de hoje. É uma rea­li­dade igno­rada, que a rea­li­za­dora nos chama a aten­ção para jamais se esque­cida. É da mulher que sur­gem con­cei­tos de fer­ti­li­dade e abun­dân­cia, tal como um rio que ali­menta moi­nhos, solos secos e dá ali­mento. É isso que encon­tra­mos em O Rio – parte 2’, de Luís Antero e Tiago Cer­veira, que mos­tra-nos o rio e as mar­gens do Alvoco, numa poe­sia per­feita entre natu­reza e memó­ria.
22h00
Abri­mos a ses­são da noite com o mote Humor em Por­tu­guês’, com a curta-metra­gem Chico Malha’, de Gui­lherme Gomes e Miguel Reis, que retrata a his­tó­ria de um rapaz que vence qual­quer um à malha, numa aldeia em que a única coisa que tinha ganho foi uma cor­rida de bur­ros. A estrear tam­bém na rea­li­za­ção, temos este ano a curta-metra­gem Uma Noite na Praia’ de São José Cor­reia, num roman­tismo e sedu­ção cons­tan­te­mente inter­rom­pi­dos pelo ímpeto sexual meta­fo­ri­zado pelo mar. O casal pro­ta­go­niza uma crí­tica ao como­dismo, ao ter algo como garan­tido e a neces­si­dade de que­brar esses mes­mos ide­ais com diá­lo­gos dis­tin­tos e alguma fla­tu­lên­cia para con­ti­nuar a vida monó­tona.
Encer­ra­mos a exi­bi­ção com Famel Top Secret’ de Jorge Monte Real, numa comé­dia única sobre a ela­bo­ra­ção de um plano revo­lu­ci­o­ná­rio no campo das moto­ri­za­das, com dema­si­a­dos per­cal­ços que aca­bam por nos fazer rir.
A noite ter­mina com a Mas­ter Ses­sion Humor em Por­tu­guês’. Vários são os espec­ta­do­res que hoje vão às salas de cinema pro­cu­rar um filme que os esti­mule do ponto de vista humo­rís­tico. O espec­ta­dor quer entre­te­ni­mento, ao mesmo tempo que recebe do humor, gran­des e sérias ilac­ções. Exis­tirá uma linha de humor por­tu­guês no nosso cinema, à seme­lhança do que ocorre em vários paí­ses de lín­gua saxó­nica? Ire­mos apren­der a rir e sor­rir com o cinema, ten­tando com­pre­en­der quais as linhas ori­en­ta­do­ras neste momento do humor em Por­tu­gal. Con­ta­re­mos com a par­ti­ci­pa­ção de Cata­rina Maia (inves­ti­ga­dora), Ale­xan­dre Cebrian Valente (pro­du­tor e rea­li­za­dor), São José Cor­reia (actriz e rea­li­za­dora) e Osvaldo Manuel Sil­ves­tre (pro­fes­sor).

João Pais,
Selec­ção Cami­nhos

  • Osvaldo Manuel Silvestre

    Osvaldo Manuel SilvestreProfessor

    Osvaldo Manuel Sil­ves­tre é pro­fes­sor do Depar­ta­mento de Lín­guas, Lite­ra­tu­ras e Cul­tu­ras da Facul­dade de Letras da Uni­ver­si­dade de Coim­bra. Dou­to­rou-se em Teo­ria da Lite­ra­tura e tem lec­ci­o­nado dis­ci­pli­nas de lite­ra­tura nas licen­ci­a­tu­ras em Lín­guas e Lite­ra­tu­ras Moder­nas e em Por­tu­guês e nos dou­to­ra­men­tos em Lite­ra­tura de Lín­gua Por­tu­guesa e em Mate­ri­a­li­da­des da Lite­ra­tura.

  • Catarina Maia

    Catarina MaiaInvestigadora

    Cata­rina Maia é licen­ci­ada em Estu­dos Artís­ti­cos, vari­ante de Cinema, pela Uni­ver­si­dade de Coim­bra, onde fez tam­bém o curso de espe­ci­a­li­za­ção em Estu­dos Fíl­mi­cos e da Ima­gem. Inte­gra o Grupo 6 – Cor­ren­tes Artís­ti­cas e Movi­men­tos Inte­lec­tu­ais do Cen­tro de Estu­dos Inter­dis­ci­pli­na­res do Século XX. Actu­al­mente pre­para o seu dou­to­ra­mento com uma tese sobre A Moral no Cinema de João César Mon­teiro”. É crí­tica de cinema na Revista METROPOLIS e cola­bora regu­lar­mente com o Curso de Estu­dos Artís­ti­cos nas dis­ci­pli­nas de Aná­lise de Fil­mes e Crí­tica Cine­ma­to­grá­fica.

  • São José Correia

    São José CorreiaActriz

    Ini­ciou a sua car­reia no tea­tro e aos 19 anos come­çou a tra­ba­lhar pro­fis­si­o­nal­mente na Com­pa­nhia de Tea­tro de Almada. Estreou-se no tea­tro mas tem par­ti­ci­pado em nove­las de grande sucesso em Por­tu­gal, tendo-se des­ta­cado a inter­pre­tar o papel de Leo­nor em Nin­guém Como Tu. Foi uma das pro­ta­go­nis­tas em Fala-me de Amor, fez parte do elenco de Pai­xões Proi­bi­das da RTP, Sen­ti­men­tos na TVI, Olhos nos Olhos, Sedu­ção, Doce Ten­ta­ção (TVI), entre outros. Des­taca-se a sua novís­sima rea­li­za­ção de Uma Noite na Praia’ (2014), pro­ta­go­ni­zando Vitor Norte e Lucinda Lou­reiro.

  • Alexandre C. Valente

    Alexandre C. ValenteEquipas, Financiamento e Aspetos Legais

    Pro­du­tor, nas­ceu em Lis­boa no ano de 1968, conta com deze­nas de fil­mes e outros pro­je­tos ao longo da sua car­reira, des­ta­cando-se a estreita rela­ção com o Cinema, sendo Dire­tor de Pro­du­ção de inú­me­ros pro­je­tos. Exerce, tam­bém, fun­ções de Cri­a­tivo, Argu­men­tista, Rea­li­za­dor e Pro­du­tor, e é con­vi­dado para inter­vir em diver­sas con­fe­rên­cias, pales­tras e workshops, na área de Comu­ni­ca­ção e do Mar­ke­ting.