vitor-discurso-encerramento.jpg

Discurso de Encerramento


Discurso de Encerramento

22 de Novem­bro

Boa Noite,

A semana que se ini­ciou a 14 de Novem­bro tem sido muito espe­cial. Ape­sar de ter coin­ci­dido com uma sexta-feira, a semana dos Cami­nhos é uma tem­po­rada fora do tempo comum. É-o para mim, para todos os ele­men­tos da orga­ni­za­ção e cola­bo­ra­do­res, rea­li­za­do­res e acto­res, artis­tas em geral, e ciné­fi­los.
O sen­ti­mento que sobre­sai de toda esta semana, deverá ser gra­ti­dão. Gra­ti­dão por toda esta cola­bo­ra­ção intensa de todos os envol­vi­dos, sem esque­cer os nos­sos patro­ci­na­do­res que foram fun­da­men­tais para man­ter viva a chama do fes­ti­val. A nossa equipa é com­posta pri­mor­di­al­mente por volun­tá­rios, cujo prin­ci­pal retorno que têm é ver cum­prida a sua tarefa de sal­va­guarda cul­tu­ral deste pro­jecto.

Assis­ti­mos a um grande número de pes­soas que saí­ram de suas casas para ver cinema na grande tela, estando o fes­ti­val Cami­nhos total­mente tran­quilo quanto à per­se­cu­ção do seu objec­tivo pri­mor­dial: mos­trar cinema em por­tu­guês.
E fizemo-lo de forma ampla. Digo isto, por ter cons­ci­ên­cia que tive­mos a pos­si­bi­li­dade de mos­trar o estado de saúde do cinema por­tu­guês da última edi­ção a esta parte. Difi­cul­tá­mos a tarefa ao nosso público, mas tam­bém ao nosso júri, que se depa­rou com uma diver­si­dade fora do comum.
Ver e reco­nhe­cer artis­tas do meio ciné­filo por­tu­guês é o objec­tivo desta noite. Pois é esse reco­nhe­ci­mento pelos pares que tem real impacto para o pano­rama cine­ma­to­grá­fico. Agra­de­ce­mos, então, a todos aque­les que têm a luci­dez neces­sá­ria para reco­nhe­cer os Cami­nhos como o der­ra­deiro fes­ti­val de cinema por­tu­guês, sub­me­tendo anu­al­mente as suas obras para apre­ci­a­ção.
Temos de refe­rir que os Cami­nhos não são ape­nas uma mos­tra de cinema. Desen­vol­ve­mos para­le­la­mente acti­vi­da­des que vão do pata­mar aca­dé­mico e refle­xivo, como o nosso 1º Sim­pó­sio até à séria ins­tru­ção com as cons­tan­tes edi­ções do nosso curso Cine­ma­lo­gia.
Com isto rei­te­ra­mos que o fes­ti­val não ter­mina nesta gala de encer­ra­mento. Con­ti­nu­ará todos os dias, com ajuda e empe­nho de todos aque­les que acei­tam con­nosco cami­nhar.
Impo­si­ção cul­tu­ral não faz parte da nossa índole, sabe­mos que temos tor­nando Coim­bra a capi­tal do cinema por­tu­guês há mais de vinte anos. Porém, temos noção de que o reco­nhe­ci­mento deverá ser de parte a parte, encon­trando-se neste momento a orga­ni­za­ção do fes­ti­val a pon­de­rar a neces­si­dade efec­tiva de uma troca para um espaço que nos reco­nheça real­mente, sem sen­tir­mos que nos impo­mos, antes aco­lhi­dos ver­da­dei­ra­mente.

Esta noite, vamos res­pi­rar acima de tudo res­peito. Vamos, jun­tos, assis­tir a esta gala, reco­nhe­cendo os nos­sos pares com cate­go­rias diver­si­fi­ca­das, reco­nhe­cendo que todas essas pes­soas são fun­da­men­tais para a ela­bo­ra­ção des­tas obras que pre­mi­a­mos e pro­jec­ta­mos. Em suma, vamos cele­brar o cinema por­tu­guês.
Que­ría por último agra­de­cer a pre­sença de todos. Sem vocês, todos vós sem dis­cri­mi­na­ção ou indi­vi­du­a­li­za­ção, esta XX edi­ção não teria sido pos­sí­vel. Boa noite, boa ses­são e até à pró­xima edi­ção seja ela onde for!

Related Posts