15859523062_b9c0259f7b_k.jpg

Jorge Pelicano foi o grande vencedor da noite


Texto de Clau­dia Car­va­lho Silva
Foto­gra­fia de Sofia Mus­so­lin

Sábado, 22, foi o último dia da XX edi­ção do Fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês, que cul­mi­nou com a Ceri­mó­nia de Entrega de Pré­mios, no TAGV, em Coim­bra. A Gala de Encer­ra­mento con­tou com a pre­sença em palco de Soraia Cha­ves e Vicente Alves do Ó, repre­sen­tan­tes do Júri da Selec­ção Cami­nhos. Jorge Peli­cano, rea­li­za­dor de Pára-me de Repente o Pen­sa­mento”, foi três vezes galar­do­ado durante o serão.

O espec­tá­culo, apre­sen­tado pela actriz Síl­via Almeida e por Gon­çalo Melo Ribeiro, teve iní­cio pouco depois das 22h, com a actu­a­ção da banda “5ª Pun­kada”, cons­ti­tuída por ele­men­tos da Asso­ci­a­ção de Para­li­sia Cere­bral de Coim­bra (APCC) e acom­pa­nhado pela banda resi­dente Rags, da Tuna Aca­dé­mica da Uni­ver­si­dade de Coim­bra. A palco foi cha­mado o Direc­tor do Fes­ti­val, Vítor Fer­reira, que subli­nhou que a prin­ci­pal mis­são do fes­ti­val é mos­trar todo o cinema por­tu­guês”; afirma que tor­ná­mos Coim­bra a capi­tal do cinema por­tu­guês há mais de 20 anos” mas lem­bra a neces­si­dade de um público que com­pre­enda o que é feito, não des­cu­rando todos aque­les que aju­da­ram nesta edi­ção, ter­mi­nando o dis­curso com Até uma pró­xima edi­ção – seja ela onde for”.

O Júri Cami­nhos, cons­ti­tuído por Nico­lau Brey­ner, Ana­bela Tei­xeira, Gisela João, Soraia Cha­ves, Vicente Alves do Ó, Rita Ferro, Ivo Cane­las e Mário Augusto, ava­liou cerca de 63 fil­mes dos quais ele­ge­ram os ven­ce­do­res dos Pré­mios. Os repre­sen­tan­tes do Júri, Soraia Cha­ves e Vicen­tes Alves do Ó, atri­buí­ram os Pré­mios da Selec­ção Cami­nhos; Vicente Alves do Ó refe­ren­cia que temos muito boa gente a fazer cinema em Por­tu­gal” e que O Cami­nhos é único e deve ser apoi­ado por toda a gente”.

O Pré­mio Melhor Rea­li­za­dor Europ­car foi con­ce­dido a Jorge Peli­cano, assim como o Grande Pré­mio do Fes­ti­val Por­tu­gal Sou Eu e o Pré­mio do Público Chama Ama­rela, pelo tra­ba­lho desen­vol­vido no seu docu­men­tá­rio Pára-me de Repente o Pen­sa­mento”. A nossa vida é con­tar his­tó­rias”, refere, e este pré­mio é um reco­nhe­ci­mento do nosso tra­ba­lho e é, tam­bém, uma opor­tu­ni­dade”. Repre­sen­tado por Eli­za­bete Agos­ti­nho, o Júri de Imprensa ele­geu, para o Pré­mio de Imprensa, a curta Coro dos Aman­tes”, de Tiago Gue­des. Nuno Par­dal foi pre­mi­ado como Melhor Actor pela sua pres­ta­ção em Éden” e Isa­bel Abreu foi lau­re­ada com o Pré­mio de Melhor Actriz pelo seu papel em Coro dos Aman­tes”.

Perto do final da ses­são, foi exi­bido um filme-resumo do Fes­ti­val, com os momen­tos e fil­mes mais mar­can­tes de toda a semana. No fim foi exi­bido o docu­men­tá­rio Pára-me de Repente o Pen­sa­mento” e a curta ven­ce­dora do Pré­mio Melhor Ensaio, Fúria”, de Diogo Bal­daia.

Ven­ce­do­res:
Pré­mio Melhor Ensaio Fnac
 — Fúria” de Diogo Bal­daia;

Pré­mio de Imprensa
 — Coro dos Aman­tes” de Tiago Gue­des;

Pré­mio D. Qui­jote:
 — Um Fim do Mundo” de Pedro Pinho;

Pré­mios Téc­ni­cos Júri Cami­nhos
Pré­mio Melhor Banda Sonora Ori­gi­nal:
 — José Cas­tro em “7 Peca­dos Rurais”;

Pré­mio Melhor Argu­mento Adap­tado:
 — Simão Cayatte em Miami”;

Pré­mio Melhor Argu­mento Ori­gi­nal:
 — Rafael Antu­nes com Lápis Azul” ;

Pré­mio Melhor Som:
 — Vasco Pimen­tel, Raquel Jacinto e Hugo Lei­tão em Bobô” de Inês Oli­veira;

Pré­mio Melhor Mon­ta­gem:
 — Jeró­nimo Rocha em Dédalo”;

Pré­mio Melhor Carac­te­ri­za­ção:
 — Cláu­dia Fer­reira, João Rapaz, Sara Men­tira e Helena Bap­tista em O Frá­gil Som do Meu Motor” de Leo­nardo Antó­nio;

Pré­mio Melhor Rea­li­za­dor Europ­car:
 — Jorge Peli­cano com Pára-me de Repente o Pen­sa­mento”;

Pré­mio Melhor Guarda-Roupa:
 — Teresa Cam­pos em O Grande Kilapy”;

Pré­mio Melhor Foto­gra­fia:
 — Vasco Viana em Um Fim do Mundo”

Men­ção Hon­rosa
 — Paulo Cas­tillo em Longe do Éden”;

Pré­mio Melhor Direc­ção Artís­tica:
 — Luís Mon­teiro em Dédalo”;

Pré­mio Melhor Actriz Secun­dá­ria:
 — Ade­laide Tei­xeira em Bici­cleta”;

Pré­mio Melhor Actor Secun­dá­rio:
 — Jaime Frei­tas em O Cigano”;

Pré­mio Melhor Actriz:
 — Isa­bel Abreu em Coro dos Aman­tes”;

Pré­mio Melhor Actor Melom:
 — Nuno Par­dal em Éden”;

Pré­mios Ofi­ci­ais Júri Cami­nhos
Pré­mio Reve­la­ção Domus Legis:
 — Adri­ano Men­des com O Pri­meiro Verão”

Pré­mio Docu­men­tá­rio Porto Cruz:
 — E Agora? Lem­bra-me” de Joa­quim Pinto;

Pré­mio Melhor Ani­ma­ção:
 — O Coveiro” de André Gil da Mata;

Pré­mio Melhor Curta-Metra­gem Turismo do Cen­tro:
A Bici­cleta” de Luís Vieira Cam­pos;

Pré­mio Melhor Longa-Metra­gem Caves Vale do Rodo:
 — É o Amor” de João Canijo;

Grande Pré­mio do Fes­ti­val Por­tu­gal Sou Eu
 — Pára-me de Repente o Pen­sa­mento” de Jorge Peli­cano;

Pré­mio do Público Chama Ama­rela Melhor Filme:
 — Pára-me de Repente o Pen­sa­mento” de Jorge Peli­cano.


Related Posts