simpósio.jpg

O cruzar da Arte e Cinema


20141121-Dia VIII-26
20141121-Dia VIII-8


Texto por Cris­ti­ana Sousa
Foto­gra­fia por Lia Fer­reira

Esta XX edi­ção do fes­ti­val “ Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês” con­tou com o seu 1° sim­pó­sio, inti­tu­lado “ A Fusão das Artes mo Cinema” . O sim­pó­sio con­tou com um con­junto de con­fe­rên­cias, pro­fe­ri­das por diver­sos con­vi­da­dos, que toma­ram lugar na Facul­dade de Letras das Uni­ver­si­dade de Coim­bra , ocu­pando a manhã e parte da tarde de sexta-feira, dia 21.

A manhã come­çou com uma mesa redonda onde, numa con­versa infor­mal de intro­du­ção ao tema, se jun­ta­ram o rea­li­za­dor Vicente Alves do Ó, o músico João Silva e o ator Ivo Cane­las. Após a mesa redonda ini­ciou-se o ciclo de con­fe­rên­cias. Na pri­meira ses­são dis­cur­sa­ram o pro­fes­sor Sér­gio Branco, da Uni­ver­si­dade de Coim­bra, que falou sobre o cinema de Mar­gritte Duras, Rajele Jain, que dis­cur­sou sobre o cinema rela­ci­o­nado com arte e os artis­tas, Susana Men­des da Silva, da Uni­ver­si­dade de Évora, que ana­li­sou o pro­cesso cri­a­tivo do seu pró­prio filme expe­ri­men­tal, Disor­der”, e ainda Ana Sabino, da Uni­ver­si­dade de Coim­bra, que falou sobre a expe­ta­tiva cri­ada no espe­ta­dor, na lite­ra­tura e no cinema.

Após a pausa para almoço, segui­ram-se a as res­tan­tes ses­sões de con­fe­rên­cias. A pri­meira ses­são da tarde con­tou com a pre­sença de Maria Graça, da Uni­ver­si­dade do Algarve, que falou sobre o cinema de ani­ma­ção, João Luís Zamith, da Uni­ver­si­dade do Porto, que ana­li­sou dois tra­ba­lhos de Tiago R. San­tos, sob o ponto de vista da cons­tru­ção his­tó­rica na lite­ra­tura e no cinema, e ainda Ana Mar­ques Silva, que ana­li­sou a cons­tru­ção da per­so­na­gem na pas­sa­gem do papel para a tela.

O dia ter­mi­nou com ses­são das 16h horas, onde esti­ve­ram pre­sen­tes qua­tro ora­do­res: Antó­nio Valente, da Uni­ver­si­dade de Aveiro, falou sobre o cinema inde­pen­dente em Por­tu­gal, Mário Car­doso, da Escola Supe­rior de Edu­ca­ção de Bra­gança, dis­ser­tou sobre a impor­tân­cia da música no con­texto cine­ma­to­grá­fico, Edna Moura falou sobre o tra­ba­lho de Cao Gui­ma­rães, cen­trando-se no seu filme “ O Sonho da Casa Pró­pria” e, por fim, Már­cia Vaits­man apre­sen­tou-nos o seu pro­jeto “ Hei­sen­berg Bou­le­vard”, que junta o mundo do cinema e da arte con­tem­po­râ­nea.

No dis­curso de des­pe­dida, ficou a pro­messa de dar con­ti­nui­dade à rea­li­za­ção de sim­pó­sios na pró­xi­mas edi­ções do fes­ti­val, com a pers­pe­tiva de aumen­tar a liga­ção entre o mundo cine­ma­to­grá­fico e os estu­dos a ele refe­ren­tes.

Related Posts