Júri da XIX edição Caminhos do Cinema Português

Já é conhe­cida a equipa de júris que vai ava­liar os pro­jec­tos em com­pe­ti­ção na XIX edi­ção do fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês, a rea­li­zar entre os dias 9 e 17 de Novem­bro, em Coim­bra. Trata-se do único fes­ti­val dedi­cado, na sua com­pe­ti­ção, ao Cinema Por­tu­guês, nas suas várias ver­ten­tes, desde pro­jec­tos finais de escola de cinema, pas­sando pela ani­ma­ção, docu­men­tá­rio, curta-metra­gem, até à longa-metra­gem. 

A equipa do júri ofi­cial é com­posta pela actriz natu­ral de Coim­bra, Ana Lopes, pela actriz de várias tele­no­ve­las e séries tele­vi­si­vas, Cus­tó­dia Gal­lego, pelo espe­ci­a­lista em Cinema, Ani­ma­ção e Tea­tro, Fer­nando Gal­rito, pela actriz e rea­li­za­dora Inês de Medei­ros, pela actriz, argu­men­tista, dra­ma­turga e ence­na­dora, Isa­bel Medina, pelo músico dos a Jig­saw, João Silva, pelo mane­quim Ricardo Gue­des, pela escri­tora e tra­du­tora, Tânia Ganho, e pelo jor­na­lista e con­sul­tor edi­to­rial na Book­tai­lors, Tito Couto.

Rela­ti­va­mente à com­pe­ti­ção esco­lar Ensaios Visu­ais”, o júri é com­posto por João Braz, edi­tor de deze­nas de tra­ba­lhos cine­ma­to­grá­fi­cos, João Qua­dros, argu­men­tista e autor de diver­sos pro­gra­mas de tele­vi­são e rádio, José Rebola, letrista, músico e fun­da­dor da banda Ana­quim, Rodrigo Lacerda, co-rea­li­za­dor de fil­mes como Filhos do Tédio” e Um quarto no éter”, e Tânia Duarte, que soma diver­sas acti­vi­da­des na área do vídeo e cinema de ani­ma­ção, tanto na rea­li­za­ção, ani­ma­ção como no ensino e for­ma­ção em workshops.

A repre­sen­tar a Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes, que cons­ti­tui o júri FICC, está o por­tu­guês Fer­nando Mateus, jor­na­lista, docente uni­ver­si­tá­rio e pro­du­tor radi­o­fó­nico e de vídeo, na área do cinema, o bra­si­leiro Antó­nio Clau­dino de Jesus, pre­si­dente da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes, e o polaco Piotr Maci­an­towicz, que res­ta­be­le­ceu o clube de cinema DKF Kamera Club num dos mais anti­gos cine­mas de todo o mundo, o Muza Cinema.

O júri Revista C é com­posto, este ano, por Cris­tina Jani­cas, da Boni­fra­tes – Coo­pe­ra­tiva de Pro­du­ções Tea­trais e Rea­li­za­ções Cul­tu­rais, Nor­berto Pires, pro­fes­sor da Facul­dade de Ciên­cias e Tec­no­lo­gia da Uni­ver­si­dade de Coim­bra, e Sér­gio Dias Branco, pro­fes­sor de Estu­dos Fíl­mi­cos na Facul­dade de Letras da Uni­ver­si­dade de Coim­bra.