Cinema e Televisão

Actu­al­mente, o cinema por­tu­guês encon­tra-se num estado difí­cil. Tal deve-se ao facto de se encon­trar ame­a­çado pela tele­vi­são. As pro­du­ções tele­vi­si­vas rece­bem cada vez mai­o­res inves­ti­men­tos e apoios finan­cei­ros, enquanto que o cinema é dei­xado por conta pró­pria. Este caso não se limita ao nosso país. Temos como exem­plo, com mais público, o caso de Hollywood, que hoje se encon­tra ame­a­çada, pois os seus escri­to­res, rea­li­za­do­res e acto­res viram-se cada vez mais para pro­jec­tos de cariz tele­vi­sivo.

O porquê de tal fenó­meno é o facto das séries de tele­vi­são, por serem mais rápi­das e mais eco­nó­mi­cas na rea­li­za­ção do que os fil­mes, tor­nam-se bas­tante mais lucra­ti­vas. Ora, o que sucede em Por­tu­gal, sobre­tudo desde o apa­re­ci­mento de esta­ções de tele­vi­são inde­pen­den­tes, é o caso de se pres­tar cada vez mais aten­ção às pro­du­ções tele­vi­si­vas, de modo a ganhar pon­tos numa guerra de audi­ên­cias que, ante­ri­or­mente, era ine­xis­tente. O sucesso de tais séries ou nove­las de pro­du­ção naci­o­nal atraem grande parte dos cine­as­tas para o campo da tele­vi­são.

    <p class="MsoNormal" style="text-align: justify">Contudo, a competi&ccedil;&atilde;o n&atilde;o termina aqui. Os esfor&ccedil;os da televis&atilde;o n&atilde;o se limitam a tentar saturar os seus hor&aacute;rios com s&eacute;ries, procurando mesmo apelar ao p&uacute;blico de formatos diferentes. Com esta ideia, se popularizaram h&aacute; alguns anos atr&aacute;s os chamados &ldquo;telefilmes&rdquo;, que em nada diferem dos filmes apresentados em cinema excepto no meio por onde s&atilde;o transmitidos. De facto, muitos filmes produzidos para este formato cont&ecirc;m um grau de qualidade equivalente a muitas metragens exibidas nas salas de cinema.<br /><br />Contudo, creio que, apesar disto, n&atilde;o se deve temer a extin&ccedil;&atilde;o do cinema nem a televis&atilde;o tomar o seu lugar. Se bem que, hoje em dia, os programas televisivos conseguem maiores audi&ecirc;ncias, tal deve-se sobretudo a um conformismo exibido pelo p&uacute;blico. E as produ&ccedil;&otilde;es em formato de filme t&ecirc;m maior interesse quando s&atilde;o destinadas &agrave;s salas de cinema e n&atilde;o ao pequeno ecr&atilde;. Antes, referi que existe uma sensa&ccedil;&atilde;o &uacute;nica e um gosto espec&iacute;fico em ir a uma sess&atilde;o de cinema, que a televis&atilde;o, por mais que se tente, n&atilde;o consegue emular. Felizmente, n&atilde;o serei o &uacute;nico a pensar assim e tal leva a que as salas de cinema n&atilde;o sejam extintas.</p>