Apresentação

Criado em 2011, com o apoio da Reitoria da Universidade de Coimbra, o curso de cinema “cinemalogia”, promovido pelos Caminhos do Cinema Português, constitui-se como um evento de referência na formação de públicos na área cinematográfica tanto numa abordagem teórica como prática

Este curso tem ao longo das suas seis edições respondido às necessidades educacionais dos públicos que se debatiam com uma oferta de formação cinematográfica exclusivamente teórica no ensino superior na região centro. Evolutivamente a complexidade do curso acompanhou a formação que o mesmo deu à organização do evento, permitindo-lhe não só oferecer um programa didático na generalidade do que é uma produção cinematográfica, mas também o ensino na especificidade das múltiplas áreas do conhecimento que se conjugam no grande ecrã como; a imagem e o som, em todas as etapas da produção de um filme; a direcção de arte; a direcção de actores; o casting; o planeamento da rodagem.

Este projecto pedagógico tem actuado numa lógica de formação intensiva, em horários pós-laborais, com uma vertente profissionalizante, dada a produção própria de obras cinematográficas em cada edição do curso, permitindo aproximar à academia de Coimbra além da sua comunidade estudantil também estudantes de outras academias e especialistas do nosso cinema. A organização além do ensino teórico-prático de cinema com alguns dos mais reputados especialistas do cinema português tem igualmente procurado que as abordagens promovidas sejam não só cientificamente e do ponto prático correctas, mas também do ponto de vista pedagógico. Desde a quinta edição do curso que a Universidade Aberta, também parceira da Universidade de Coimbra, se constituiu um parceiro da organização do curso promovendo a sua certificação pedagógica.

Desta forma, os Caminhos do Cinema Português têm promovido a produção de cinema na cidade de coimbra e nos espaços da sua academia, complementando a formação oferecida pela Universidade de Coimbra em cursos como Estudos Artísticos, Design e Multimédia, Jornalismo, de entre outros. O papel do curso ‘Cinemalogia’ na divulgação da Academia Coimbrã tem se revelado internacionalizador do evento na medida em que os filmes produzidos neste contexto têm viajado por festivais de cinema de um pouco por todo o mundo (Kansas (EUA), Vigo (ES), Padova (IT), Talin (ES),  Sopot (PL), Somerset (UK), Lamar (EUA),…), bem como pelo nosso país (Avanca, Figueira da Foz, Famalicão, Trofa, …).

Para o ano lectivo de 2017/2018, os Caminhos do Cinema Português reformularam os seus programas educativos, procurando abordar novas áreas de formação cinematográfica. Continuamos a promover o ensino “geral” das várias etapas constituintes da produção de cinema de ficção, bem como abordar as práticas cinematográficas dentro de novas especificidades, nomeadamente o cinema docuficcional. Desta forma, os Caminhos do Cinema Português apresentam neste ano lectivo duas edições do curso de cinema ‘Cinemalogia’. Numa perspectiva xpress, com o propósito de facilitar o acesso a formação, a sétima edição é dedicada à produção de ficção. Assim, nas 80 horas de formação foram incluídas as etapas fulcrais para o desenvolvimento de uma produção de micro-orçamento com o mesmo propósito original do curso; Ensinar a fazer cinema com a tutoria especializada de intervenientes de relevo do panorama cinematográfico português.

A oitava edição do curso será, à semelhança das anteriores, uma edição composta tanto pelas etapas fundamentais da produção cinematográfica, como por novos módulos específicos a práticas exploratórias dos limites entre a realidade e a ficção. Será anunciado em breve o seu plano modular, formadores e carga horária.

Des­ti­na­tá­rios

Ama­do­res e pro­fis­si­o­nais de cinema, vídeo e audi­o­vi­sual que pre­ten­dam apro­fun­dar os conhe­ci­mento de forma geral, ou em aspec­tos espe­cí­fi­cos, do pro­cesso de cons­tru­ção de um filme. O curso des­tina-se assim a for­ma­do­res de áreas aca­dé­mi­cas e pro­fis­si­o­nais; e-for­ma­do­res; Ani­ma­do­res Cul­tu­rais e Soci­ais; Pro­fis­si­o­nais da área da comunicação/​novos media; Empre­en­de­do­res; Estu­dan­tes do ensino supe­rior; Estu­dan­tes 12º ano e Cida­dãos em geral.
Para Pro­fes­so­res do Ensino Básico e Secun­dá­rio, os módu­los trans­ver­sais do pre­sente Curso pos­suem acre­di­ta­ção pelo CCPFC (para efei­tos de apli­ca­ção do n.º 3 do artigo 14.º do Regime Jurí­dico da For­ma­ção Con­tí­nua de Professores).

Enqua­dra­mento

O curso vai para a sua sétima edi­ção e ofe­rece uma for­ma­ção em Cinema, Audi­o­vi­sual e Mul­ti­mé­dia essen­ci­al­mente prá­tica. A tra­di­ção na for­ma­ção que os Cami­nhos Film Fes­ti­val pro­mo­ve­ram, ao longo das suas últi­mas edi­ções, pos­si­bi­li­tou e gerou o conhe­ci­mento neces­sá­rio à pro­du­ção de um curso modu­lar que explora todas as fases de con­ce­ção de uma obra cine­ma­to­grá­fica, da sua ideia ao seu pro­duto final: o filme.

Obje­ti­vos

O curso tem como obje­ti­vos gerais a difu­são e for­ma­ção em cul­tura cine­ma­to­grá­fica. Esta ação for­ma­tiva irá criar téc­ni­cos capa­zes de acom­pa­nhar todo o tra­ba­lho de pro­du­ção cine­ma­to­grá­fica, assim como de desen­vol­ver novas obras. Estes novos qua­dros per­mi­ti­rão, por parte dos for­man­dos, aumen­tar a pro­du­ção fíl­mica regi­o­nal e naci­o­nal, dina­mi­zando áreas de negó­cio até à data pouco explo­ra­das. Por outro lado, a explo­ra­ção do campo mul­ti­mé­dia como arte, poderá ori­gi­nar novos artis­tas que explo­rem os novos media.

Meto­do­lo­gia

O curso será minis­trado, ten­den­ci­al­mente em regime pre­sen­cial, em Coim­bra, com o apoio de uma pla­ta­forma de apren­di­za­gem (LMS) que terão uma forte com­po­nente online, pelo que é essen­cial que o for­mando pos­sua uma conta de cor­reio ele­tró­nico ativa, dis­po­nha de acesso regu­lar à inter­net e tenha conhe­ci­men­tos infor­má­ti­cos bási­cos na ótica do utilizador.
Para a rea­li­za­ção com sucesso dos módu­los, pre­sen­ci­ais e online, estão pre­vis­tas tare­fas indi­vi­du­ais ou em grupo que envol­ve­rão a par­ti­ci­pa­ção ativa dos formandos.
As ati­vi­da­des for­ma­ti­vas rela­ti­vas a cada módulo são rea­li­za­das pre­sen­ci­al­mente que serão em regime de b-lear­ning. Em todos os módu­los do curso, os for­man­dos terão ao seu dis­por um ambi­ente vir­tual no LMS, valo­ri­zando-se a comu­ni­ca­ção assíncrona.

Com­pe­tên­cias Gerais

Aqui­si­ção de com­pe­tên­cias no âmbito da cri­a­ção e desen­vol­vi­mento de uma obra cinematográfica;
Aqui­si­ção de com­pe­tên­cias em méto­dos e téc­ni­cas de pro­du­ção cinematográfica;
Ava­liar e com­pre­en­der o pro­cesso cri­a­tivo de uma obra cinematográfica;
Desen­vol­vi­mento da capa­ci­dade crí­tica e de aná­lise dos pro­du­tos cine­ma­to­grá­fi­cos, audi­o­vi­su­ais e multimédia.
Cri­a­ção de meios audi­o­vi­su­ais auxi­li­a­res da ação educativa.

Inscrições e Preços

Curso Com­pleto – até 17 de Novem­bro de 2017
Estudante - 250€
Público Geral - 300€

Campanha Promocional - até 11 de Novembro de 2017
Estudante - 150€
Público Geral - 200€

Módu­los Iso­la­dos – até ao iní­cio do módulo em questão
Módulos de 8 horas
Estudante - 60€
Normal - 80€

Módulos de 16 horas
Estudante - 70€
Normal - 90€

Des­con­tos

10% Cola­bo­ra­do­res e Estu­dan­tes da UAb
10% Sócios do CEC/​AAC e Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês – AACC

Cer­ti­fi­ca­ção

Para obter a cer­ti­fi­ca­ção total do curso, o for­mando deverá ter par­ti­ci­pado em 75% dos módu­los for­ma­ti­vos nucle­a­res. Esta cer­ti­fi­ca­ção inci­dirá sobre os módu­los fre­quen­ta­dos e sobre as com­pe­tên­cias adquiridas.
A par­ti­ci­pa­ção em módu­los iso­la­dos é igual­mente objeto de cer­ti­fi­ca­ção da participação.
A Cer­ti­fi­ca­ção da par­ti­ci­pa­ção no Curso de Cinema – Cine­ma­lo­gia será efe­tu­ada pela Uni­ver­si­dade Aberta e pelos Cami­nhos do Cinema Português.

FAQs

A frequên­cia do Curso de Cinema pode ser efe­tu­ada de forma com­pleta, com uma ins­cri­ção única que garante aos forman­dos o acesso a todos os módu­los ou de forma iso­lada, com ins­cri­ção em cada módulo.

Bibli­o­gra­fia Genérica

Chion, M. (1997). La música en el cine. Bar­ce­lona: Paidós.
Bazin, A. (1992). O que é o Cinema? Lis­boa: Livros Horizonte.
Aumont, J. (1995). A esté­tica do filme.Campinas: Papirus.
Aumont, J. (2011). O cine­mae a ence­na­ção. Lis­boa: Texto & Grafia.
Jeanne, R., & Char­les, F. (1966). His­toire illus­tré du cinéma.Verviers: Mara­bout Université.
Seger, L. (2008). Como Triun­far como argu­men­tista: um livro de exer­cí­cios sobre cri­a­ti­vi­dade. Avanca: Edi­ções Cine-Clube de Avanca.
Grilo, J. M. (2008). As Lições do Cinema: Manual de Fil­mo­lo­gia. Lis­boa: Edi­ções Colibri/​Faculdade de Ciên­cias Soci­ais e Huma­nas da Uni­ver­si­dade Nova de Lisboa.
Almeida, M. F (1982). Cinema Docu­men­tal: His­tó­ria, Esté­tica e Téc­nica Cinematográfica.Porto: Edi­ções Afrontamento.
Jac­qui­not, R., Saint-Vin­cent, R., & Saint-Vin­cent, O. (2006). Guia Prá­tico do Story­bo­ard. Avanca: Edi­ções Cine-Clube de Avanca.
Andrew, J. (1989). As prin­ci­pais teo­rias do cinema: uma intro­du­ção. Rio de Janeiro: J. Zahar.
Ber­nar­det, J. (1985). O que é cinema. São Paulo: Brasiliense.
Bret­ton, G. (1990). Esté­tica do cinema. São Paulo: Mar­tins Fontes.
Mar­tin, M. (1990). A lin­gua­gem cine­ma­to­grá­fica. São Paulo: Brasiliense.

Ficha Técnica

Dura­ção do Curso Com­pleto:80 Horas
Local de Rea­li­za­ção: Coim­bra
Coor­de­na­ção Cien­tí­fica: Vítor Fer­reira
Coor­de­na­ção Peda­gó­gica: Antó­nio Moreira
Coor­de­na­ção Geral: Teresa Roxo
Secre­ta­ri­ado: Car­men Santos
Limite de Par­ti­ci­pan­tes:20
Iní­cio:18 de Novem­bro de 2017
Término: 17 de Dezembro de 2017

+ Info

Tlf UAb .: (+351) 300 001 718 (9h – 16h)
Tlf CCP .: (+351) 239 851 069 (9h – 16h)
Email: Car­men San­tos – carmen.​[email protected]​uab.​pt

Plano Modular

Os módulos incluídos na sétima edição do curso de cinema 'Cinemalogia' correspondem à maioria das etapas fundamentais no percurso de produção cinematográfico.

Formadores

Os formadores desta sétima edição do curso cinemalogia têm integrado a produção de importantes obras cinematográficas portuguesas. Este curso além da aprendizagem revela-se de igual forma uma oportunidade única de networking entre alunos e formadores.

  • André Badalo

    André BadaloArgumentista/Realizador

    André Badalo, 35 anos, argumentista, produtor e realizador com contrato assinado com a distribuidora Warner Brothers. Licenciado em cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e formado em Realização e Direção de Atores na University of Southern California em Los Angeles, em Microbudget Film Production no BingerLab em Amsterdão e Robert McKee’s Scriptwriting Story e Love Story na University of Westminster em Londres. Realizou as curtas-metragens “História de Papel”, “Shoot Me” e “Catarina e os Outros”, com Diogo Infante, Maria João Bastos e Victoria Guerra nos papéis principais, filmes que ganharam dezenas de prémios em festivais internacionais. Em Los Angeles, trabalhou com o realizador Bryan Singer (X-Men, The Usual Suspects) que sobre o trabalho de André Badalo menciona: “exquisite and admirable use of camera withintense and outstanding performances". Foi um dos 9 realizadores internacionais convidados para co-realizar o filme “Baku I Love You”, com um elenco internacional: Asia Argento, Alessandro Bertolucci e Eysan Özhim e produzido pela Mos Film do realizador russo Konchalovskiy (House of FoolsMaria'sLoversTango and Cash). Sobre o trabalho de André Badalo, Konchalovskiy menciona: “precise and romantic withthe camera, fearless and meticulous with the actors". Em pós-produção está a longa-metragem “Portugal não está à venda”, escrita e realizada por André Badalo, com Pedro Teixeira, Ana Zanatti, Dalila Carmo, São José Correia, Rita Pereira, Maria Vieira e Paulo Pires nos papéis principais, filme que será distribuído nos cinemas pela NOS Lusomundo em 2018.

  • João Silva (Jorri)

    João Silva (Jorri)Músico

    Músico, compositor, produtor e instrumentista, nasceu em Coimbra a 20 de Abril de 1979, mas cresceu em Alcobaça até Ingressar na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Em 1999, surge em Coimbra, o projecto “a Jigsaw”, do qual é um dos membros fundadores. Banda essa, que além de músico e compositor, assume também o papel de Produtor. Embora sem nunca ter feito uma banda sonora para um filme, com a Jigsaw musicou vários, um dos quais durante o Festival Caminhos do Cinema Português. Já trabalhou com vários realizadores, não com bandas sonoras, mas com vídeos de música, dos quais destacaria António Ferreira. “The Wolf and The Rose” e “Objectosfera” são também dois espetáculos criados de raiz com o Marionetista Rui Sousa (Marionetas da Feira) onde a música faz a banda sonora da peça de Teatro de Marionetas. Mais recentemente esteve envolvido na peça de Teatro “Tomeo – Histórias Perversas” da Escola da Noite, onde concebeu todo o universo sonoro. Neste momento além de fazer parte de a Jigsaw, colabora com varias outras bandas da Cidade, Birds Are Indie, The Parkinsons, The Twist Connection, etc… bem como trabalha na Blue House, uma espécie de casa da criação, onde colabora principalmente com bandas da cidade de Coimbra.

  • Liliana Lasprilla

    Liliana LasprillaProdutora

    LILIANA S. LASPRILLA (Venezuela, 1987) licenciada em Novas Tecnologias da Comunicação em Aveiro (2008), especializou-se posteriormente em Produção Cinematográfica na ECAM - Escuela de Cinematografia de Madrid. Em Espanha participou em longas-metragens internacionais tais como "Death of a Pilgrim", "The Cold Light of Day" e na produção de curtas-metragens, entre elas "Verbenas" de Ana Rodriguez, "El Secreto del Circo", "The beach" de Elisa Cepedal ou “Estocolmo”, de Juan Viruega. Em 2011 começa a sua trajetória na área documental com "Tánger Gool", de Juan Gautier, rodado entre Espanha e Marrocos. Em Portugal continuou o seu percurso na Red Desert Films, dedicada ao desenvolvimento e à internacionalização dos documentários em mercados tais como o do Festival Clermont Ferrand ou o Cross Video Days (FR). Desde 2014, a Liliana é a produtora da PIXBEE, sócia da EDN – European Documentary Network e recentemente foi Júri no Festival de Cinema Luso-Brasileiro (2016).

  • Manuel Pinto Barros

    Manuel Pinto BarrosDirector de Fotografia

    Manuel Pinto Barros, licenciado em Cine-Video pela Esc. Superior Artística do Porto (Esap), em 2008. Após a conclusão dos seus estudos, integrou diversos projectos como Director de Fotografia, passando por publicidades, curtas-metragens e videoclips. Em cada filme procura incutir um estilo estético único, utilizando variadas técnicas sempre em articulado com as especificidades de cada produção, que o levaram a trabalhar algumas das mais importantes marcas do mercado Português entre as quais, F.C.Porto, Sonae/Continente, Mcdonalds ou TAP. Em 2014 finalizou as curtas-metragens “Bicicleta” e “Amélia & Duarte”. “Bicicleta”, realizado por Luís Vieira Campos, venceu o Prémio TAP (Curtas Vila do Conde 2014 ) e Melhor Curta-metragem no Caminhos do Cinema Português. “Amélia & Duarte”, animação realizada por Mónica Santos e Alice Guimarães, teve estreia Nacional no Curtas Vila do Conde 2015, tendo vencido o Prémio do Publico SPA e o Prémio Canal+, foi ainda seleccionada para mais de 100 festivais internacionais, tendo sido considerada pela direcção do Festival de Annecy uma das melhores obras a concurso no festival de Annecy 2015. Em 2015 terminou a curta-metragem "Longe" de José Oliveira, que estreou no Festival de Locarno de 2016. Em 2016 foi responsavel pela direcção de fotografia de segunda unidade da série "Vidago Palace", a primeira co-produção entre a RTP e TVGalicia, uma produção HOP! e Portocabo. Para além de diversos projectos de publicidade, encontra-se a finalizar a animação "Entre Sombras" de Alice Guimarães e Mónica Santos, a curta-metragem "Inverno" de Pedro Magano e "O Sapato" de Luís Vieira Campos.

  • Paulo Cunha

    Paulo CunhaProfessor/Investigador/Programador

    Paulo Cunha é Doutor em Estudos Contemporâneos pela Universidade de Coimbra, docente de Cinema na Universidade da Beira Interior, investigador do CEIS20-UC e programador no Cineclube de Guimarães e nos festivais internacionais de cinema Curtas Vila do Conde e Porto/Post/Doc.

  • Pedro Lopes

    Pedro LopesArgumentista / Docente

    Pedro Lopes. Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Mestre em Comunicação, Cinema e Televisão, e doutorando em Ciências da Comunicação pela Universidade Católica de Lisboa. Desde 2007 exerce funções como Director de Conteúdos da produtora SP Televisão e simultaneamente é professor de Comunicação Audiovisual, do curso de mestrado em Audiovisual e Multimédia, na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa e de Ateliê de Guionismo do mestrado de Comunicação, Televisão e Cinema da Universidade Católica de Lisboa.

  • Tomás Baltazar

    Tomás BaltazarMontador

    Tomás Baltazar possui uma licenciatura em Som e Imagem pela Universidade Católica do Porto, uma pós-graduação em Edição de Cinema e Televisão pela Escola de Cinema e Televisão Septima Ars de Madrid, tendo ainda frequentado o Cumbria Institute of the Arts, em Carlisle, Reino Unido. Estreou a curta metragem “um dia cabouqueiros” no IndieLisboa2015, competição nacional. A sua segunda curta-metragem, “Descalço” (2010) estreou no Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira, onde venceu o prémio “Onda Curta RTP2”. Com uma já longa carreira em montagem , montou cerca de 40 filmes desde 2005, entre longas, curtas, documentários e ficção de realizadores como Edgar Pêra, Rodrigo Areias, Miguel Clara Vasconcelos, Raquel Freire, Aya Koretzky, André Gil Mata, João Trabulo, Vincent Lefort,  Sofia Marques, Albano Silva Pereira, Júlio Alves ou Jorge Quintela, João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, Tiago Afonso, António Borges Ferreira, Nathalie Mansoux, Pilar Palomero, Manel Raga Raga. Estes filmes foram exibidos e premiados em festivais como Doclisboa, IndieLisboa , Roterdão, Visons du Réel, Rio de Janeiro, São Paulo, Chicago, Cinesul, Guadalajara, Sevilha, Vila do Conde, Festival Internacional de cinema Curitiba, Fantasporto ou Documenta Madrid, Seul, Berlim.

Inscrições