Cinemalogia 7 xpress

A sétima edi­ção do curso cine­ma­lo­gia apre­senta-se ao público num for­mato com­pacto sem des­cu­rar as eta­pas fun­da­men­tais na pro­du­ção de cinema.

  • Pedro Lopes

    Pedro LopesArgumentista /​Docente

    Pedro Lopes. Licen­ci­ado em His­tó­ria pela Facul­dade de Letras da Uni­ver­si­dade de Lis­boa, Mes­tre em Comu­ni­ca­ção, Cinema e Tele­vi­são, e dou­to­rando em Ciên­cias da Comu­ni­ca­ção pela Uni­ver­si­dade Cató­lica de Lis­boa. Desde 2007 exerce fun­ções como Direc­tor de Con­teú­dos da pro­du­tora SP Tele­vi­são e simul­ta­ne­a­mente é pro­fes­sor de Comu­ni­ca­ção Audi­o­vi­sual, do curso de mes­trado em Audi­o­vi­sual e Mul­ti­mé­dia, na Escola Supe­rior de Comu­ni­ca­ção Social de Lis­boa e de Ate­liê de Gui­o­nismo do mes­trado de Comu­ni­ca­ção, Tele­vi­são e Cinema da Uni­ver­si­dade Cató­lica de Lis­boa.

  • Manuel Pinto Barros

    Manuel Pinto BarrosDirector de Fotografia

    Manuel Pinto Bar­ros, licen­ci­ado em Cine-Video pela Esc. Supe­rior Artís­tica do Porto (Esap), em 2008. Após a con­clu­são dos seus estu­dos, inte­grou diver­sos pro­jec­tos como Direc­tor de Foto­gra­fia, pas­sando por publi­ci­da­des, cur­tas-metra­gens e vide­o­clips. Em cada filme pro­cura incu­tir um estilo esté­tico único, uti­li­zando vari­a­das téc­ni­cas sem­pre em arti­cu­lado com as espe­ci­fi­ci­da­des de cada pro­du­ção, que o leva­ram a tra­ba­lhar algu­mas das mais impor­tan­tes mar­cas do mer­cado Por­tu­guês entre as quais, F.C.Porto, Sonae/​Continente, Mcdo­nalds ou TAP. Em 2014 fina­li­zou as cur­tas-metra­gens Bici­cleta” e Amé­lia & Duarte”. Bici­cleta”, rea­li­zado por Luís Vieira Cam­pos, ven­ceu o Pré­mio TAP (Cur­tas Vila do Conde 2014 ) e Melhor Curta-metra­gem no Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês. Amé­lia & Duarte”, ani­ma­ção rea­li­zada por Mónica San­tos e Alice Gui­ma­rães, teve estreia Naci­o­nal no Cur­tas Vila do Conde 2015, tendo ven­cido o Pré­mio do Publico SPA e o Pré­mio Canal+, foi ainda selec­ci­o­nada para mais de 100 fes­ti­vais inter­na­ci­o­nais, tendo sido con­si­de­rada pela direc­ção do Fes­ti­val de Annecy uma das melho­res obras a con­curso no fes­ti­val de Annecy 2015. Em 2015 ter­mi­nou a curta-metra­gem Longe” de José Oli­veira, que estreou no Fes­ti­val de Locarno de 2016. Em 2016 foi res­pon­sa­vel pela direc­ção de foto­gra­fia de segunda uni­dade da série Vidago Palace”, a pri­meira co-pro­du­ção entre a RTP e TVGa­li­cia, uma pro­du­ção HOP! e Por­to­cabo. Para além de diver­sos pro­jec­tos de publi­ci­dade, encon­tra-se a fina­li­zar a ani­ma­ção Entre Som­bras” de Alice Gui­ma­rães e Mónica San­tos, a curta-metra­gem Inverno” de Pedro Magano e O Sapato” de Luís Vieira Cam­pos.

  • Paulo Cunha

    Paulo CunhaProfessor/​Investigador/​Programador

    Paulo Cunha é Dou­tor em Estu­dos Con­tem­po­râ­neos pela Uni­ver­si­dade de Coim­bra, docente de Cinema na Uni­ver­si­dade da Beira Inte­rior, inves­ti­ga­dor do CEIS20-UC e pro­gra­ma­dor no Cine­clube de Gui­ma­rães e nos fes­ti­vais inter­na­ci­o­nais de cinema Cur­tas Vila do CondePorto/​Post/​Doc.

  • Liliana Lasprilla

    Liliana LasprillaProdutora

    LILIANA S. LASPRILLA (Vene­zu­ela, 1987) licen­ci­ada em Novas Tec­no­lo­gias da Comu­ni­ca­ção em Aveiro (2008), espe­ci­a­li­zou-se pos­te­ri­or­mente em Pro­du­ção Cine­ma­to­grá­fica na ECAM – Escu­ela de Cine­ma­to­gra­fia de Madrid. Em Espa­nha par­ti­ci­pou em lon­gas-metra­gens inter­na­ci­o­nais tais como Death of a Pil­grim”, The Cold Light of Day” e na pro­du­ção de cur­tas-metra­gens, entre elas Ver­be­nas” de Ana Rodri­guez, El Secreto del Circo”, The beach” de Elisa Cepe­dal ou Esto­colmo”, de Juan Viru­ega. Em 2011 começa a sua tra­je­tó­ria na área docu­men­tal com Tán­ger Gool”, de Juan Gau­tier, rodado entre Espa­nha e Mar­ro­cos. Em Por­tu­gal con­ti­nuou o seu per­curso na Red Desert Films, dedi­cada ao desen­vol­vi­mento e à inter­na­ci­o­na­li­za­ção dos docu­men­tá­rios em mer­ca­dos tais como o do Fes­ti­val Cler­mont Fer­rand ou o Cross Video Days (FR). Desde 2014, a Lili­ana é a pro­du­tora da PIXBEE, sócia da EDN – Euro­pean Docu­men­tary Network e recen­te­mente foi Júri no Fes­ti­val de Cinema Luso-Bra­si­leiro (2016).

  • André Badalo

    André BadaloArgumentista/​Realizador

    André Badalo, 35 anos, argu­men­tista, pro­du­tor e rea­li­za­dor com con­trato assi­nado com a dis­tri­bui­dora War­ner Brothers. Licen­ci­ado em cinema na Escola Supe­rior de Tea­tro e Cinema de Lis­boa e for­mado em Rea­li­za­ção e Dire­ção de Ato­res na Uni­ver­sity of Southern Cali­for­nia em Los Ange­les, em Micro­bud­get Film Pro­duc­tion no Bin­ger­Lab em Ams­ter­dão e Robert McKee’s Script­wri­ting Story e Love Story na Uni­ver­sity of West­mins­ter em Lon­dres. Rea­li­zou as cur­tas-metra­gens His­tó­ria de Papel”, Shoot Me” e Cata­rina e os Outros”, com Diogo Infante, Maria João Bas­tos e Vic­to­ria Guerra nos papéis prin­ci­pais, fil­mes que ganha­ram deze­nas de pré­mios em fes­ti­vais inter­na­ci­o­nais. Em Los Ange­les, tra­ba­lhou com o rea­li­za­dor Bryan Sin­ger (X-Men, The Usual Sus­pects) que sobre o tra­ba­lho de André Badalo men­ci­ona: exqui­site and admi­ra­ble use of camera within­tense and outs­tan­ding per­for­man­ces”. Foi um dos 9 rea­li­za­do­res inter­na­ci­o­nais con­vi­da­dos para co-rea­li­zar o filme Baku I Love You”, com um elenco inter­na­ci­o­nal: Asia Argento, Ales­san­dro Ber­to­lucci e Eysan Özhim e pro­du­zido pela Mos Film do rea­li­za­dor russo Kon­cha­lovs­kiy (House of FoolsMaria’sLoversTango and Cash). Sobre o tra­ba­lho de André Badalo, Kon­cha­lovs­kiy men­ci­ona: pre­cise and roman­tic withthe camera, fear­less and meti­cu­lous with the actors”. Em pós-pro­du­ção está a longa-metra­gem Por­tu­gal não está à venda”, escrita e rea­li­zada por André Badalo, com Pedro Tei­xeira, Ana Zanatti, Dalila Carmo, São José Cor­reia, Rita Pereira, Maria Vieira e Paulo Pires nos papéis prin­ci­pais, filme que será dis­tri­buído nos cine­mas pela NOS Luso­mundo em 2018.

  • Tomás Baltazar

    Tomás BaltazarMontador

    Tomás Bal­ta­zar pos­sui uma licen­ci­a­tura em Som e Ima­gem pela Uni­ver­si­dade Cató­lica do Porto, uma pós-gra­du­a­ção em Edi­ção de Cinema e Tele­vi­são pela Escola de Cinema e Tele­vi­são Sep­tima Ars de Madrid, tendo ainda fre­quen­tado o Cum­bria Ins­ti­tute of the Arts, em Car­lisle, Reino Unido. Estreou a curta metra­gem um dia cabou­quei­ros” no IndieLisboa2015, com­pe­ti­ção naci­o­nal. A sua segunda curta-metra­gem, Des­calço” (2010) estreou no Fes­ti­val Luso-Bra­si­leiro de Santa Maria da Feira, onde ven­ceu o pré­mio Onda Curta RTP2”. Com uma já longa car­reira em mon­ta­gem , mon­tou cerca de 40 fil­mes desde 2005, entre lon­gas, cur­tas, docu­men­tá­rios e fic­ção de rea­li­za­do­res como Edgar Pêra, Rodrigo Areias, Miguel Clara Vas­con­ce­los, Raquel Freire, Aya Koretzky, André Gil Mata, João Tra­bulo, Vin­cent Lefort, Sofia Mar­ques, Albano Silva Pereira, Júlio Alves ou Jorge Quin­tela, João Pedro Rodri­gues e João Rui Guerra da Mata, Tiago Afonso, Antó­nio Bor­ges Fer­reira, Natha­lie Man­soux, Pilar Palo­mero, Manel Raga Raga. Estes fil­mes foram exi­bi­dos e pre­mi­a­dos em fes­ti­vais como Doclis­boa, Indi­e­Lis­boa , Roter­dão, Visons du Réel, Rio de Janeiro, São Paulo, Chi­cago, Cine­sul, Gua­da­la­jara, Sevi­lha, Vila do Conde, Fes­ti­val Inter­na­ci­o­nal de cinema Curi­tiba, Fan­tas­porto ou Docu­menta Madrid, Seul, Ber­lim.

  • João Silva (Jorri)

    João Silva (Jorri)Músico

    Músico, com­po­si­tor, pro­du­tor e ins­tru­men­tista, nas­ceu em Coim­bra a 20 de Abril de 1979, mas cres­ceu em Alco­baça até Ingres­sar na Facul­dade de Ciên­cias e Tec­no­lo­gia da Uni­ver­si­dade de Coim­bra. Em 1999, surge em Coim­bra, o pro­jecto a Jig­saw”, do qual é um dos mem­bros fun­da­do­res. Banda essa, que além de músico e com­po­si­tor, assume tam­bém o papel de Pro­du­tor. Embora sem nunca ter feito uma banda sonora para um filme, com a Jig­saw musi­cou vários, um dos quais durante o Fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês. Já tra­ba­lhou com vários rea­li­za­do­res, não com ban­das sono­ras, mas com vídeos de música, dos quais des­ta­ca­ria Antó­nio Fer­reira. The Wolf and The Rose” e Objec­tos­fera” são tam­bém dois espe­tá­cu­los cri­a­dos de raiz com o Mari­o­ne­tista Rui Sousa (Mari­o­ne­tas da Feira) onde a música faz a banda sonora da peça de Tea­tro de Mari­o­ne­tas. Mais recen­te­mente esteve envol­vido na peça de Tea­tro Tomeo – His­tó­rias Per­ver­sas” da Escola da Noite, onde con­ce­beu todo o uni­verso sonoro. Neste momento além de fazer parte de a Jig­saw, cola­bora com varias outras ban­das da Cidade, Birds Are Indie, The Par­kin­sons, The Twist Con­nec­tion, etc… bem como tra­ba­lha na Blue House, uma espé­cie de casa da cri­a­ção, onde cola­bora prin­ci­pal­mente com ban­das da cidade de Coim­bra.