Origem e Antecedentes do Projecto

Como sur­giu este pro­jecto?


O curso Cine­ma­lo­gia sur­giu em 2011, ofe­re­cendo uma for­ma­ção do Cinema e do Mul­ti­mé­dia essen­ci­al­mente prá­tica, na região Cen­tro do País. A tra­di­ção na for­ma­ção que o Fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês pro­mo­veu, ao longo das suas edi­ções, pos­si­bi­li­tou e gerou o conhe­ci­mento neces­sá­rio à pro­du­ção de um curso modu­lar que explora todas as fases de con­cep­ção de uma obra cine­ma­to­grá­fica da sua ideia ao seu pro­duto final, o filme.

A pri­meira edi­ção do Cine­ma­lo­gia supe­rou todas as expec­ta­ti­vas ini­ci­ais da orga­ni­za­ção con­se­guindo regis­tar 159 ins­cri­ções em 13 módu­los, impondo-se pela garan­tia da qua­li­dade na for­ma­ção um limite máximo de vinte vagas por módulo. Nesta pri­meira edi­ção, encon­tra­ram-se novos valo­res o cinema Por­tu­guês como João Duque, ven­ce­dor do pré­mio de jovem rea­li­za­dor no con­curso de vídeo INATEL 2012. Acre­di­ta­mos que esta­mos a criar uma nova gera­ção de cine­as­tas e/​ou ciné­fi­los.

Uma for­ma­ção com esta ampli­tude é caso único no país devendo ser incen­ti­va­das novas edi­ções deste curso.

A segunda edi­ção do curso Cine­ma­lo­gia — Da Ideia ao Filme veio refor­çar o carác­ter de exce­lên­cia e de grande opor­tu­ni­dade que esta for­ma­ção con­tí­nua, orga­ni­zada de forma modu­lar, repre­senta para a ciné­fi­los e tam­bém para pro­fis­si­o­nais da sétima arte. O plano cur­ri­cu­lar foi refor­mado, dis­po­ni­bi­li­zando-se dez novos módu­los pos­si­bi­li­tando a for­ma­ção na espe­ci­a­li­dade como em Design de Títu­los, Com­po­si­ção Musi­cal ou Mis­tura de Som. Na segunda edi­ção, regis­ta­ram-se 250 ins­cri­ções ao longo do curso.

Em linha com a edi­ção piloto, este curso enca­mi­nhou os for­man­dos no pro­cesso cine­ma­to­grá­fico dotando-os das bases teó­ri­cas essen­ci­ais que per­mi­tem cons­truir e ana­li­sar a ideia de um filme e a lin­gua­gem que pro­jecta na tela até à roda­gem e pós-pro­du­ção. Na segunda edi­ção, pro­du­ziu-se uma curta-metra­gem com muito esforço da orga­ni­za­ção e dos for­man­dos, cujo argu­mento é adap­tado a par­tir do conto A Via­gem”, de Sophia de Mello Brey­ner, pelo for­mando Pedro Branco. O filme, objecto de apren­di­za­gem, encon­tra-se neste a con­cor­rer a vários fes­ti­vais naci­o­nais e inter­na­ci­o­nais, tendo sido já aceite no cir­cuito Short­cutz. Vários for­man­dos desta segunda edi­ção rea­li­za­ram curta-metra­gens após a frequên­cia do curso.

O filme Espe­rança foi selec­ci­o­nado para exi­bi­ção no Shot­cutz Xpress Viseu, The Tal­lin Fes­ti­val of New Cinema 2014 e no 1º Fes­ti­val Inter­na­ci­o­nal de Cinema e Lite­ra­tura de Trofa — Cine­Trofa.

De real­çar ainda a ori­gem dos for­man­dos que fre­quen­tam este curso modu­lar. Se na pri­meira edi­ção quase metade dos for­man­dos (49.1%) são oriun­dos de fora do muni­cí­pio de Coim­bra, na segunda edi­ção veri­fi­cou-se um aumento de 49.5% para 59.37%, mos­trando que existe espaço em Coim­bra para a for­ma­ção e pro­du­ção de Cinema mesmo com con­di­ções de tra­ba­lho muito redu­zi­das como as que este pro­jecto recorre. Veri­fi­ca­mos, nas três edi­ções do curso, a par­ti­ci­pa­ção activa de Pro­fis­si­o­nais da sétima arte, o que nos leva a acre­di­tar, cada vez mais, na qua­li­dade deste pro­jecto com o reco­nhe­ci­mento de qua­li­dade e o inte­resse além dos ciné­fi­los e estu­dan­tes.

A ter­ceira edi­ção deste pro­jecto decor­reu até 8 de Junho, con­so­li­dando o pro­grama modu­lar esta­be­le­cido aquando da segunda edi­ção. No decor­rer da ter­ceira edi­ção vol­tá­mos a cons­ta­tar um aumento na per­cen­ta­gem de for­man­dos de fora do dis­trito de Coim­bra, assim como na pre­sença regu­lar de pro­fis­si­o­nais nos vários módu­los que com­põem o curso.

Da aná­lise dos inqué­ri­tos peda­gó­gi­cos rea­li­za­dos, reti­ra­mos uma enorme satis­fa­ção dos for­man­dos pela qua­li­dade das for­ma­ções e docen­tes, assim como pelas con­di­ções pro­por­ci­o­na­das pela orga­ni­za­ção ao longo do curso.

Da mesma forma, este pro­jecto dota a Cidade e Uni­ver­si­dade de Coim­bra de uma for­ma­ção com­ple­men­tar à oferta dis­po­ní­vel na prá­tica cine­ma­to­grá­fica, com uma oferta coe­rente e não ape­nas em actos iso­la­dos que des­cu­ram as liga­ções artís­ti­cas e téc­ni­cas pró­prias da lin­gua­gem do cinema.

Brinco Coração

Dois dos vários micro-fil­mes resul­tan­tes da pri­meira edi­ção do curso.

Cinemalogia nos Media