771183ca-00ff-4e73-b937-d8a590f89aec.jpg

Crónicas da Programação – II


15h00
Conseguimos extrair, através da análise dos filmes produzidos em certa época, o estado actual das coisas. O cinema português pode funcionar como um género de manifesto cultural contra as coisas nefastas da situação estagnada do nosso país.
Abrimos o segundo dia com um olhar in loco para uma pastelaria e a sua produção própria, através da curta-metragem de animação ‘Especialidade da Casa’, de Margarida Madeira.
A sessão continua com a análise deste país europeu em crise que é Portugal, através do terceiro volume de ‘Mil e uma Noites – O Encantado’ de Miguel Gomes, onde o realizador constrói uma ficção rica à base de uma realidade crua. Mais uma vez Xerazade vem colmatar a cobardia e a incapacidade dessa tarefa, acordando-nos para uma realidade ficcionada.

17h30
Continuando a abrir as sessões do dia com animações, é a vez de André Ruivo nos mostrar ‘O Campo à Beira Mar’, onde nos apresenta o surgir do calor e da invasão do Homem nas praias, como que profanando uma faceta sagrada da natureza.
Não abandonando as animações, continuamos com ‘Papel de Embrulho’ por José Miguel Ribeiro, uma curta destinada a todas as idades sobre os elementos-base presentes em todos os natais: crianças, Pai Natal e papel de embrulho.
Esta sessão termina com o documentário ‘As Troianas’ de Tiago Afonso, que nos mostra uma veracidade no Porto que decerto a maioria dos espectadores desconhecerá. De forma directa, o realizador acompanha o processo de demolição das torres do Bairro de Aleixo, apresentando-nos vários testemunhos daqueles que viveram intensamente esse fenómeno social e urbano.

21h30
As sessões no Auditório do Conservatório de Música de Coimbra terminam na sessão das 21h30, com ‘Capitão Falcão’ de João Leitão, que nos confronta com uma paródia sobre um suposto herói defensor da política salazarista, protagonizado por Gonçalo Waddington. A luta contra os inimigos do estado são ironizadas nesta obra, desenrolando preconceitos e mitos e levando-os para uma suposta realidade (apesar de cómica).
Esta sessão, mais uma vez, será aberta com uma animação. Desta feita uma curta-metragem de cariz documental, sobre uma análise (franca e não ironizada) efectuada por um grupo de jovens de Montemor-o-Novo que juntaram testemunhos daqueles que sobreviveram à ditadura, mascarada por falsa democracia.

João Pais,
Selecção Caminhos