unnamed.jpg

Crónicas de Programação – V


17h30
Consideramos o Cinema Português uma obra elaborada por várias mãos. É interessante reparar no fenómeno de novos realizadores que brotam anualmente, com interessantes produções que merecem ser mostradas. Não é por acaso que surgiu a categoria ‘Selecção Novíssimos’ que tem no seu cerne a ideologia de mostrar primeiras obras, cuja inspiração é variada.
Navegamos primeiramente com uma animação de Carlos Silva e Pedro Almeida, ‘Navegar’, cujo ponto de partida são desenhos esboçados pela intérprete aquando de cinco anos de idade. A inocência dos traços demonstra sentimentos tão puros como o amor. A viagem continua agora para os anos 20 do século passado, mergulhando num antigo sanatório, onde hoje as salas estão preenchidas não por pacientes, mas por memórias. ‘Aldeia dos Tísicos’ de Hugo Dinis Neves, mostra-nos assim reminiscências documentadas de um passado que se encontra demasiado presente na zona do caramulo. Acima de tudo somos momentos, e é isso que nos mostra Pedro Sousa no seu ‘Silêncios de um Gesto’. O tempo corrói os momentos, e o realizador desejou cristaliza-los através de captura de gestos silenciosos da sua filha.
Pedro Augusto Almeida mostra-nos um retrato de um dia banal de um protagonista, que lhe roubaram tanto a bicicleta como esperanças de um futuro. Em ‘Por Aqui Nada de Novo’, encontramos um diálogo, uma amizade banal, uma reflexão sobre o estado da própria vida do protagonista, a inércia.
A sessão das 17h30 continua com primeiras obras, agora de Isabel Medina, com o seu chocante e real ‘Caçadores de Anjos’, que nos alerta sobre violência exercida sobre as mulheres nos dias de hoje. É uma realidade ignorada, que a realizadora nos chama a atenção para jamais se esquecida. É da mulher que surgem conceitos de fertilidade e abundância, tal como um rio que alimenta moinhos, solos secos e dá alimento. É isso que encontramos em ‘O Rio – parte 2’, de Luís Antero e Tiago Cerveira, que mostra-nos o rio e as margens do Alvoco, numa poesia perfeita entre natureza e memória.

22h00
Abrimos a sessão da noite com o mote ‘Humor em Português’, com a curta-metragem ‘Chico Malha’, de Guilherme Gomes e Miguel Reis, que retrata a história de um rapaz que vence qualquer um à malha, numa aldeia em que a única coisa que tinha ganho foi uma corrida de burros. A estrear também na realização, temos este ano a curta-metragem ‘Uma Noite na Praia’ de São José Correia, num romantismo e sedução constantemente interrompidos pelo ímpeto sexual metaforizado pelo mar. O casal protagoniza uma crítica ao comodismo, ao ter algo como garantido e a necessidade de quebrar esses mesmos ideais com diálogos distintos e alguma flatulência para continuar a vida monótona.
Encerramos a exibição com ‘Famel Top Secret’ de Jorge Monte Real, numa comédia única sobre a elaboração de um plano revolucionário no campo das motorizadas, com demasiados percalços que acabam por nos fazer rir.
A noite termina com a Master Session ‘Humor em Português’. Vários são os espectadores que hoje vão às salas de cinema procurar um filme que os estimule do ponto de vista humorístico. O espectador quer entretenimento, ao mesmo tempo que recebe do humor, grandes e sérias ilacções. Existirá uma linha de humor português no nosso cinema, à semelhança do que ocorre em vários países de língua saxónica? Iremos aprender a rir e sorrir com o cinema, tentando compreender quais as linhas orientadoras neste momento do humor em Portugal. Contaremos com a participação de Catarina Maia (investigadora), Alexandre Cebrian Valente (produtor e realizador), São José Correia (actriz e realizadora) e Osvaldo Manuel Silvestre (professor).

João Pais,
Selecção Caminhos

  • Osvaldo Manuel Silvestre

    Osvaldo Manuel SilvestreProfessor

    Osvaldo Manuel Silvestre é professor do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Doutorou-se em Teoria da Literatura e tem leccionado disciplinas de literatura nas licenciaturas em Línguas e Literaturas Modernas e em Português e nos doutoramentos em Literatura de Língua Portuguesa e em Materialidades da Literatura.

  • Catarina Maia

    Catarina MaiaInvestigadora

    Catarina Maia é licenciada em Estudos Artísticos, variante de Cinema, pela Universidade de Coimbra, onde fez também o curso de especialização em Estudos Fílmicos e da Imagem. Integra o Grupo 6 - Correntes Artísticas e Movimentos Intelectuais do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX. Actualmente prepara o seu doutoramento com uma tese sobre “A Moral no Cinema de João César Monteiro”. É crítica de cinema na Revista METROPOLIS e colabora regularmente com o Curso de Estudos Artísticos nas disciplinas de Análise de Filmes e Crítica Cinematográfica.

  • São José Correia

    São José CorreiaActriz

    Iniciou a sua carreia no teatro e aos 19 anos começou a trabalhar profissionalmente na Companhia de Teatro de Almada. Estreou-se no teatro mas tem participado em novelas de grande sucesso em Portugal, tendo-se destacado a interpretar o papel de Leonor em Ninguém Como Tu. Foi uma das protagonistas em Fala-me de Amor, fez parte do elenco de Paixões Proibidas da RTP, Sentimentos na TVI, Olhos nos Olhos, Sedução, Doce Tentação (TVI), entre outros. Destaca-se a sua novíssima realização de ‘Uma Noite na Praia’ (2014), protagonizando Vitor Norte e Lucinda Loureiro.

  • Alexandre C. Valente

    Alexandre C. ValenteEquipas, Financiamento e Aspetos Legais

    Produtor, nasceu em Lisboa no ano de 1968, conta com dezenas de filmes e outros projetos ao longo da sua carreira, destacando-se a estreita relação com o Cinema, sendo Diretor de Produção de inúmeros projetos. Exerce, também, funções de Criativo, Argumentista, Realizador e Produtor, e é convidado para intervir em diversas conferências, palestras e workshops, na área de Comunicação e do Marketing.