31205736011_8b701ea9f0_o.jpg

Encerramento e Entrega de Prémios a 3 de dezembro

A XXIII Edi­ção do Fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês não podia ter­mi­nar sem um dos momen­tos altos do evento. A ceri­mó­nia de encer­ra­mento e res­pe­tiva entrega dos pré­mios são um marco fun­da­men­tal para o reco­nhe­ci­mento do melhor que se pro­duz no cinema e indús­tria cine­ma­to­grá­fica por­tu­guesa.

E os Cami­nhos são um evento espe­cial. Mais do que repli­car ines­go­ta­vel­mente uma fór­mula, pro­cu­ra­mos ino­var e reco­nhe­cer todos os que pro­cu­ram pro­mo­ver o Cinema por­tu­guês, téc­ni­cos e artis­tas, e não ape­nas os fil­mes. E foi isto que nos moveu, cri­ando pro­gra­ma­ções em ambas as sec­ções com­pe­ti­ti­vas e não com­pe­ti­ti­vas com novas pers­pe­ti­vas e abor­da­gens.

Para além dos gran­des pré­mios do Fes­ti­val, onde estão incluí­dos o Grande Pré­mio do Fes­ti­val – Por­tu­gal Sou Eu, o Pré­mio do Público – Chama Ama­rela, o Pré­mio de Melhor Ensaio Naci­o­nal e o Pré­mio de Melhor Ensaio Inter­na­ci­o­nal – Fnac, exis­tem tam­bém os pré­mios téc­ni­cos, dando palco aque­les que são res­pon­sá­veis pela cri­a­ção dos fil­mes, com pré­mios que reco­nhe­cem desde os melho­res ato­res (prin­ci­pais e secun­dá­rios), aos melho­res argu­men­tis­tas, rea­li­za­do­res, téc­ni­cos de som e de foto­gra­fia, ou reco­nhe­cendo o con­tri­buto ful­cral e espe­ci­a­li­zado de áreas como a cons­tru­ção de figu­ri­nos, pelo pré­mio Melhor Guarda-Roupa, a carac­te­ri­za­ção ou a comu­ni­ca­ção com os públi­cos, pré­mio cons­ti­tuído com o apoio da IVITY Brand Corp.

Depois de sete dias inten­sos de pro­je­ções, de mais de 60 horas de fil­mes, onde a festa pro­cu­rou glo­ri­fi­car o cinema por­tu­guês, é este o registo exi­gido para esta ceri­mó­nia de encer­ra­mento. E a cele­bra­ção conta com a par­ti­ci­pa­ção dos Big Band Rags, per­ten­cente à Tuna Aca­dé­mica da Uni­ver­si­dade de Coim­bra, e com a apre­sen­ta­ção de Gon­çalo Ribeiro e Hél­der Tei­xeira.

A Big Band Rags da Tuna Aca­dé­mica da Uni­ver­si­dade de Coim­bra, cri­ada em 1994, tor­nou-se conhe­cida não só pela sua for­ma­ção pouco comum, mas tam­bém pela sua irre­ve­rên­cia e entu­si­asmo em palco, exe­cu­tando desde temas de rock dos anos 50/​60, jazz e funk, pas­sando tam­bém pela adap­ta­ção de alguns temas popu­la­res e de Coim­bra. Fun­dada em 1888, a TAUC é um dos mais anti­gos Orga­nis­mos Cul­tu­rais da Aca­de­mia de Coim­bra, tendo pri­mado por ser desde sem­pre um espaço múl­ti­plo, diverso e rico em dife­ren­tes pro­je­tos. É atu­al­mente com­posta por 3 gru­pos: a Orques­tra-Tuna, o Grupo de Fados e a Big Band Rags.

São vários os Cami­nhos que o Cinema por­tu­guês pode seguir, mas esta­mos cer­tos que, um fes­ti­val com as cara­te­rís­ti­cas dos Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês é o cami­nho a seguir, colo­cando o foco de luz no que se pro­duz den­tro de por­tas. A ceri­mó­nia decorre no pró­ximo dia 3 de dezem­bro, às 22 horas. Con­ta­mos con­sigo.

Related Posts