Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da Assembleia da República

Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da Assembleia da RepúblicaEduardo Ferro Rodrigues

O direito à Cultura é um direito essencial ao desenvolvimento humano. Cabe ao Estado incentivar e regular as atividades culturais. Mas o papel dos agentes culturais e da sociedade civil é insubstituível, quer na criação, quer na organização dos eventos relacionados com as diferentes manifestações da Cultura.

É o caso do Cinema, e é o caso do Festival Caminhos do Cinema, de Coimbra, que entra este ano na sua 21ª edição. Ao ultrapassar as vinte edições, podemos dizer que o Festival é já uma referência da vida cultural da cidade, enquanto encontro de expressões artísticas e verdadeira plataforma de reconhecimento de valores consagrados e de lançamento de novos valores do cinema.

Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra

Magnífico Reitor da Universidade de CoimbraJoão Gabriel Silva

Uma palavra de grande incentivo ao festival Caminhos do Cinema Português, pela muito relevante ação que tem tido, e continuará seguramente a ter, na divulgação do cinema que se faz em Portugal.

Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de Coimbra

Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de CoimbraClara Almeida Santos

Os Caminhos do Cinema Português voltam à cidade. Com uma programação que oferece cada vez mais novidades, com a vontade de abarcar sempre mais público. As propostas estendem-se a várias comunidades: são os caminhos a encontrar novos caminhos, a estimular a investigação, a propor serviço educativo.

O lugar ocupado por este festival é lugar comum, no melhor sentido da expressão - um lugar onde todos nos podemos rever e encontrar. E, assim, a Universidade de Coimbra junta-se a esta festa do cinema português e em português.

Encontramos motivos para nos juntarmos a esta festa, em toda a linha, como num filme: com princípio, meio e fim. Porque na origem destes Caminhos está a academia, na sua força criativa e de organização; porque é um momento cultural distintivo e único; porque a sua finalidade é, no fim do dia, a promoção e difusão da língua e cultura portuguesas, objetivo que comunga da própria matriz identitária da Universidade de Coimbra.

Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra

Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de CoimbraCarina Gomes

A XXI edição do festival Caminhos do Cinema Português volta a colocar Coimbra no primeiro plano de uma das suas paixões, a 7ª Arte. O festival afirmou-se, por méritos próprios, como um evento de relevo no calendário cultural da cidade, aguardado com expectativa pelas oportunidades que proporciona de conhecer os trabalhos cinematográficos recentes realizados em Portugal. Dinamizado em contexto académico, pelo Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra, o certame estimula as relações entre os estudantes e a cidade e reforça a universalidade do acesso à cultura cinematográfica portuguesa. É, portanto, com grande satisfação que a Câmara Municipal de Coimbra saúda e apoia este projeto, que celebra a rica e longínqua relação entre a cidade, os cinéfilos e o cinema português.

Presidente do Conselho Diretivo do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P.

Presidente do Conselho Diretivo do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P.Filomena Serras Pereira

Os Caminhos do Cinema Português, montra da mais recente produção cinematográfica portuguesa e que dedica igualmente grande atenção a ciclos do passado, constitui um importante encontro anual para a celebração do nosso cinema e dos seus criadores.

Entre os dias 27 de Novembro e 5 de Dezembro, serão exibidas várias obras cinematográficas, desde o cinema de escola ao profissional, proporcionando um ponto de encontro entre pessoas e culturas que têm em comum dois patrimónios – a língua portuguesa e, claro, a linguagem cinematográfica.

O Instituto do Cinema e do Audiovisual, empenhado em prosseguir a divulgação da produção cinematográfica nacional, congratula-se com mais uma edição dos Caminhos do Cinema Português, desejando que constitua um êxito para a organização e para o seu público.

Conservatório de Música de Coimbra

Conservatório de Música de CoimbraManuel Rocha

Quando o Cinema não era ainda som, em fita magnética, o som do cinema era Música. Talvez por causa da memória desses dias felizes, e iniciais, falar de Cinema e de Música - fazer Cinema e Música – é, muitas vezes, falar da mesma coisa: o desafio total dos sentidos e da inteligência dos humanos. Andréi Tarkóvsky, para o trabalho de montagem, esperava sempre pela partitura – era o “escultor do tempo” à procura do reagente sonoro em que havia de misturar os seus “bonecos” de luz. E quem diz este, diz os cineastas todos e os músicos todos, os pintores, os atores, os bailarinos, os encenadores, o público - a Arte é um lugar indispensável do nosso mundo.

Por isso é que a entrada do Cinema numa Escola é sempre uma boa notícia. Mesmo que não haja, num primeiro momento, a curiosidade de ver além do postigo da prime-time; mesmo que o trabalho de procurar significados assuste; mesmo que seja o de Sísifo o exemplo seguido por aqueles que organizam, que promovem, que lutam (e, por isso, merecem toda a admiração).

Para o Conservatório de Música de Coimbra é uma honra abrir a porta de casa para que o Cinema entre!

Federação Portuguesa de Cineclubes

Federação Portuguesa de CineclubesPaulo Martins

A Federação Portuguesa de Cineclubes saúda os Caminhos do Cinema Português e a sua 21ª edição.

Na génese do festival está o espírito cineclubista dos membros do Centro de Estudos Cinematográficos, que lhe dedicam há tantos anos tal dedicação, espírito de missão e de sacrifício pessoal, e que, por isso, merecem a nossa admiração e justo reconhecimento.

O seu papel na divulgação e promoção do Cinema Português é fundamental, num país privado, há décadas, de uma política de Cultura estruturante e do apoio efectivo das entidades tutelares responsáveis.

A Federação Portuguesa de Cineclubes marca historicamente presença nos Caminhos e, como tal, sabe dos verdadeiros “milagres” que, ano após ano, foram sendo operados pela equipa que os organiza.

Os Caminhos do Cinema Português, pelo seu exemplo de persistência e de amor pelo Cinema, merecem toda a atenção do Estado, da comunicação social, dos produtores, dos distribuidores e do público desta maravilhosa cidade de Coimbra que, por estes dias se transforma em Capital de Portugal, através do Cinema Português.

Continuem a desbravar Caminhos!