Regulamento do Festival Caminhos do Cinema Português

  1. Defi­ni­ção
    1. Os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês são um fes­ti­val gene­ra­lista de cinema focado na cine­ma­to­gra­fia con­tem­po­râ­nea por­tu­guesa, sendo um evento sin­gu­lar em Por­tu­gal, pela forma como pro­move a exi­bi­ção, dis­cus­são e a prá­tica cine­ma­to­grá­fica atra­vés da rea­li­za­ção de sec­ções com­pe­ti­ti­vas, sec­ções para­le­las, retros­pec­ti­vas cine­ma­to­grá­fi­cas e acções peda­gó­gi­cas e de for­ma­ção pro­fis­si­o­nal no plano teó­rico-prá­tico.
    2. O fes­ti­val é ide­a­li­zado por aman­tes e pro­fis­si­o­nais do mundo cine­ma­to­grá­fico e visa dar visi­bi­li­dade às dife­ren­tes pro­du­ções naci­o­nais, nos seus dis­tin­tos regis­tos téc­ni­cos e temá­ti­cos.
    3. Ao nível con­cep­tual os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês carac­te­ri­zam-se por uma ampli­tude de regis­tos que são o fide­digno registo do pano­rama da pro­du­ção cine­ma­to­grá­fica naci­o­nal anual, pro­mo­vendo-se como um ponto de encon­tro de todo o cinema por­tu­guês”.
    4. Os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês pre­ten­dem ser aquilo que o nome trans­mite, a súmula dos dife­ren­tes cami­nhos que a cine­ma­to­gra­fia naci­o­nal per­corre. Não existe um só cami­nho, disso mesmo nos damos conta quando os pode­mos enu­me­rar, a saber: cinema de autor, cinema comer­cial, cinema para cri­an­ças e a vídeo arte. O cinema por­tu­guês enqua­dra-se nos mais vari­a­dos esca­lões etá­rios e regis­tos esti­lís­ti­cos de que a his­tó­ria do cinema nos pode dar conta.
    5. O fes­ti­val é uma ini­ci­a­tiva co-orga­ni­zada pela Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês – Asso­ci­a­ção de Artes Cine­ma­to­grá­fi­cas de Coim­bra e pelo Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos da Asso­ci­a­ção Aca­dé­mica de Coim­bra.
    6. Os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês con­si­de­ram que a dura­ção de curta-metra­gem é infe­rior a 40 minu­tos.
    7. A 24.ª edi­ção do fes­ti­val decor­rerá 23 de Novem­bro a 1 de Dezem­bro de 2018
  1. Objec­ti­vos
    1. Os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês têm como fina­li­dade geral do pro­jecto refor­çar o acesso à cul­tura cine­ma­to­grá­fica Por­tu­guesa, pro­mo­vendo a sua divul­ga­ção, e os ele­men­tos para a sua com­pa­ra­ção e com­pre­en­são.
    2. Em cada edi­ção o pro­jecto deverá refor­çar os laços de comu­ni­dade e iden­ti­dade local exis­ten­tes, pro­mo­vendo a inte­gra­ção numa iden­ti­dade e comu­ni­dade naci­o­nal.
    3. O fes­ti­val pre­tende pro­mo­ver os ele­men­tos para a com­pa­ra­ção e com­pre­en­são da cine­ma­to­gra­fia por­tu­guesa no con­texto glo­bal, olhando aos con­tex­tos de pro­du­ção cine­ma­to­grá­fica pro­fis­si­o­nal, aca­dé­mica e da ciné­fi­lia em geral. 
  1. Sec­ções Com­pe­ti­ti­vas
    O fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês apre­senta duas sec­ções com­pe­ti­ti­vas, nome­a­da­mente a Selec­ção Cami­nhos e a Selec­ção Ensaios.
    1. A Selec­ção Cami­nhos é dedi­cada a toda a cine­ma­to­gra­fia naci­o­nal de pro­du­ção pro­fis­si­o­nal con­sa­grando nesta sec­ção todos os géne­ros cine­ma­to­grá­fi­cos.
    2. A Selec­ção Ensaios é dedi­cada a fil­mes pro­du­zi­dos em con­texto aca­dé­mico ou de for­ma­ção téc­nica e pro­fis­si­o­nal (Esco­las de Cinema, Audi­o­vi­sual e Mul­ti­mé­dia do Ensino Secun­dá­rio e Supe­rior) e pre­tende con­fe­rir um espaço a todos os rea­li­za­do­res, que em Por­tu­gal e a nível Inter­na­ci­o­nal, alme­jam ser os cri­a­do­res de ama­nhã.
    3. As obras a apre­sen­tar em cada uma das sec­ções com­pe­ti­ti­vas serão o resul­tado de uma pré-selec­ção da res­pon­sa­bi­li­dade da orga­ni­za­ção.
  1. Admis­são
    1. Ape­nas serão admi­ti­dos a con­curso os fil­mes de pro­du­ção ou co-pro­du­ção naci­o­nal mai­o­ri­tá­rias e mino­ri­tá­rias, cuja con­clu­são tenha ocor­rido depois do tér­mino do prazo de recep­ção de ins­cri­ções de fil­mes da edi­ção tran­sata do fes­ti­val, isto con­cluí­dos após 1 de setem­bro de 2017.
    2. Podem ainda ins­cre­ver-se todos os fil­mes que mesmo pro­du­zi­dos em data ante­rior à supra­ci­tada que não tenham sido ainda objecto de exi­bi­ção em cir­cui­tos comer­ci­ais ou alter­na­ti­vos.
      1. Por cir­cui­tos alter­na­ti­vos entenda-se que o filme per­cor­reu um cir­cuito sendo dis­tri­buído por cine­clu­bes, audi­tó­rios muni­ci­pais, uni­ver­si­da­des ou outros espa­ços públi­cos num total supe­rior a duas exi­bi­ções.
    3. Não serão acei­tes para com­pe­ti­ção títu­los que tenham sido exi­bi­dos em tele­vi­são ou dis­po­ní­veis por von­tade do autor ou pro­du­tor em sítios da inter­net.
    4. Nas sec­ções para­le­las são admi­ti­dos fil­mes pro­du­zi­dos nos últi­mos três anos.
      1. Na retros­pec­tiva não se apli­cam limi­tes em rela­ção ao ano de pro­du­ção das obras par­ti­ci­pan­tes.
    5. Acei­tam-se pro­du­ções inter­na­ci­o­nais na Sele­ção Ensaios e nas sec­ções para­le­las Juni­o­res e Mun­di­ais. 
      1. Os fil­mes com diá­lo­gos em lín­gua estran­geira deve­rão ser legen­da­dos em Por­tu­guês.
      2. As obras inter­na­ci­o­nais pode­rão ser legen­da­das em Inglês ou Fran­cês
      3. Os fil­mes inter­na­ci­o­nais pro­pos­tos aos Cami­nhos Juni­o­res serão exclu­si­va­mente em lín­gua por­tu­guesa ou sem diá­lo­gos e ade­qua­dos à faixa etá­ria dos 4 aos 10 anos de idade
    6. Não há limite quanto ao número de obras que cada realizador/​produtor pode ins­cre­ver no fes­ti­val, desde que res­pei­tem as nor­mas do pre­sente regu­la­mento.
    7. As ins­cri­ções decor­rem obri­ga­to­ri­a­mente na pla­ta­forma Film­Fre­eway, pelo sítio www​.film​fre​eway​.com/​f​e​s​t​i​v​a​l​/​C​a​m​inhos.
    8. Não serão acei­tes fil­mes já ins­cri­tos e/​ou selec­ci­o­na­dos em edi­ções ante­ri­o­res do Fes­ti­val.
    9. É da res­pon­sa­bi­li­dade dos pro­po­nen­tes indi­car a cate­go­ria em que con­cor­rem no acto de ins­cri­ção.
    10. É da res­pon­sa­bi­li­dade do fes­ti­val a selec­ção de todos os fil­mes pro­gra­ma­dos.
    11. Qual­quer filme ins­crito poderá inte­grar outras ses­sões ou sec­ções do fes­ti­val.
    12. Acei­tam-se ins­cri­ções nos seguin­tes for­ma­tos:
      1. Na Selec­ção Cami­nhos, Selec­ção Ensaios e sec­ções para­le­las:
        1. BLU-RAY (sis­tema PAL)
        2. Fichei­ros PRORES 422 HQ ou supe­rior, DNxHD. H264 ou HEVC pode­rão ser acei­tes pon­tu­al­mente
        3. DVD (sis­tema PAL). Este for­mato tem qua­li­dade bas­tante limi­tada pelo que não é reco­men­dado.
      2. Na Selec­ção Cami­nhos serão tam­bém acei­tes pro­du­ções em pelí­cula nos for­ma­tos 16mm e 35mm ou em vídeo no for­mato BETA SP
      3. O fes­ti­val não aceita cópias de exi­bi­ção em outros for­ma­tos e supor­tes para além dos espe­ci­fi­ca­dos.
  1. Pra­zos
    1. A data limite de ins­cri­ção de Fil­mes e envio de Cópias para pré-sele­ção do Fes­ti­val é 31 de julho de 2018. Os fil­mes sele­ci­o­na­dos serão noti­fi­ca­dos até 30 de setem­bro de 2018. 
      1. O fes­ti­val não garante o visi­o­na­mento e apre­ci­a­ção de fil­mes rece­bi­dos após o prazo de ins­cri­ção.
    2. A data limite para o envio de cópias para exi­bi­ção é o dia 30 de outu­bro de 2018.
    3. O fes­ti­val não efec­tu­ará qual­quer paga­mento de alu­guer de cópia rela­tivo à exi­bi­ção de fil­mes em com­pe­ti­ção.
    4. Cus­tos de Ins­cri­ção
      1. Até 31 de maio: gra­tuito em todas as cate­go­rias.
      2. De 31 de maio a 30 de junho
        1. Lon­gas Metra­gens – 10
        2. Cur­tas-Metra­gens – 5
      3. De 30 de junho a 31 de julho
        1. Lon­gas-Metra­gens – 20
        2. Cur­tas-Metra­gens – 10
      4. Os cus­tos de ins­cri­ção para estu­dan­tes ins­cri­tos no ano lec­tivo de 2017 – 2018, que apre­sen­tem cer­ti­fi­cado de matrí­cula, são redu­zi­dos em 50%. Estes deve­rão con­tac­tar a orga­ni­za­ção nesse sen­tido pelo email [email protected]​caminhos.​info envi­ando o nome do(s) filme(s) e cer­ti­fi­cado de matrí­cula.
  2. Acei­ta­ção
    1. Os pro­po­nen­tes serão infor­ma­dos da acei­ta­ção das suas obras e terão de enviar, via e-mail ou cor­reio, os seguin­tes ele­men­tos:
      • Bio­fil­mo­gra­fia do Rea­li­za­dor;
      • Cópia de exi­bi­ção e Cópia em Vídeo (DVD/BLU-RAY) do filme (obri­ga­to­ri­a­mente via cor­reio);
      • Ficha Téc­nica Com­pleta do Filme;
      • Foto­gra­fia do Rea­li­za­dor, de Cena, do Filme e Pos­ter do Filme;
      • Trai­ler ou Excerto de 2 minu­tos do filme;
    1. O envio dos mate­ri­ais, quando a opção for via ele­tró­nica, deverá ser efe­tu­ado para:

O Assunto deverá con­ter o nome do(s) filme(s) proposto(s) e o nome do Rea­li­za­dor.

    1. A cópia de exi­bi­ção (DVD/BLU-RAY) para pro­jec­ção deverá ser envi­ada para:
      Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês
      NOME DA SECÇÃO EM QUE PARTICIPA
      Rua Padre Antó­nio Vieira, Edi­fí­cio AAC1º Andar
      3000 – 315 Coim­bra
  1. Trans­por­tes e Segu­ros das Obras
    1. Os Por­tes de Envio das Cópias de Exi­bi­ção dos fil­mes selec­ci­o­na­dos serão cober­tos pelo Fes­ti­val, sendo que a sua devo­lu­ção é da res­pon­sa­bi­li­dade do pro­po­nente.
    2. O pro­po­nente deverá, aquando do envio das cópias de exi­bi­ção, indi­car o meio pelo qual deseja que estas sejam devol­vi­das. No caso de omis­são dessa indi­ca­ção, as cópias serão devol­vi­das pela trans­por­ta­dora do fes­ti­val a expen­sas des­tes.
    3. Todos os fil­mes a exi­bir nas sec­ções com­pe­ti­ti­vas deve­rão per­ma­ne­cer no fes­ti­val até ao seu fim, só se pro­ce­dendo à sua devo­lu­ção após o tér­mino do mesmo.
    4. A orga­ni­za­ção res­pon­sa­bi­liza-se pelo seguro das cópias desde a sua che­gada até à sua devo­lu­ção.
  1. Júri
    1. Cada Júri será cons­ti­tuído por um pai­nel de indi­vi­du­a­li­da­des, tanto naci­o­nais como estran­gei­ras, de reco­nhe­cido mérito pela sua con­tri­bui­ção para o desen­vol­vi­mento do Cinema, Cul­tura ou da soci­e­dade em geral.
    2. A cons­ti­tui­ção de cada equipa de Júri será anun­ci­ada no sítio do fes­ti­val atem­pa­da­mente.
    3. O Júri pode deci­dir a atri­bui­ção de Men­ções Hon­ro­sas, até ao máximo de uma por cada Pré­mio.
      1. Não serão atri­buí­das men­ções hon­ro­sas aos Pré­mios Téc­nico-Artís­ti­cos.
    4. O Júri não atri­buirá Pré­mios em ex aequo.
    5. Das deci­sões do júri serão lavra­das atas jus­ti­fi­cando as opções toma­das.
      1. É reser­vado ao Júri o direito à não atri­bui­ção de qual­quer um dos Pré­mios em com­pe­ti­ção sob jus­ti­fi­ca­ção em ata de reu­nião.
    6. Os fil­mes pre­sen­tes na Selec­ção Cami­nhos serão ava­li­a­dos pelas seguin­tes equi­pas:
      1. Júri Cami­nhos
      2. Júri da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes /​IFFS
        1. O Júri FICC é com­posto por ciné­fi­los de qual­quer país do mundo, sele­ci­o­na­dos de entre as can­di­da­tu­ras das várias Fede­ra­ções Naci­o­nais de Cine­clu­bes. 
        2. Ape­nas são ele­gí­veis ao pré­mio D. Qui­jote da FICC/​IFFS os fil­mes ausen­tes de diá­logo, fala­dos ou com legen­das em inglês ou fran­cês, pre­sente na Selec­ção Cami­nhos.
        3. Fil­mes pre­mi­a­dos por um Júri FICC de outro fes­ti­val não pode­rão ser con­si­de­ra­dos a este pré­mio.
      3. Júri de Imprensa CISION
        O Júri de Imprensa CISION será cons­ti­tuído por um pai­nel de indi­vi­du­a­li­da­des, quer naci­o­nais, quer estran­gei­ras, de reco­nhe­cido mérito e pro­ve­ni­en­tes de dife­ren­tes órgãos de comu­ni­ca­ção social.
      4. Público
    1. Os fil­mes pre­sen­tes na Selec­ção Ensaios serão ava­li­a­dos por um júri que ava­li­ará a com­pe­ti­ção naci­o­nal e a com­pe­ti­ção inter­na­ci­o­nal
  1. Pré­mios
    1. Os fil­mes pre­sen­tes nas Sec­ções Com­pe­ti­ti­vas do fes­ti­val con­cor­rem aos seguin­tes pré­mios: 
      1. Selec­ção Cami­nhos – Pré­mios Ofi­ci­ais
        1. Grande Pré­mio do Fes­ti­val Por­tu­gal Sou Eu
        2. Pré­mio Melhor Longa-metra­gem de Fic­ção
        3. Pré­mio Melhor Curta-metra­gem Turismo do Cen­tro
          1. O Pré­mio de Melhor Curta-Metra­gem é atri­buí­vel a qual­quer género cine­ma­to­grá­fico em com­pe­ti­ção.
        4. Pré­mio Melhor Docu­men­tá­rio Uni­ver­si­dade de Coim­bra
        5. Pré­mio Melhor Ani­ma­ção
        6. Pré­mio Reve­la­ção
          O Pré­mio Reve­la­ção deverá pre­miar o tra­ba­lho de novos inter­ve­ni­en­tes no pano­rama cine­ma­to­grá­fico naci­o­nal que se des­ta­quem ine­qui­vo­ca­mente do ponto de vista qua­li­ta­tivo em qual­quer área artís­tica, tendo par­ti­ci­pado no máximo em duas lon­gas-metra­gens ao longo da sua car­reira.
      1. Selec­ção Cami­nhos – Pré­mios Téc­nico-Artís­ti­cos
        Ao Júri com­pe­tirá ainda, de entre o con­junto de obras em exi­bi­ção na Sele­ção Cami­nhos, atri­buir os seguin­tes pré­mios inde­pen­den­te­mente da dura­ção da obra:
        1. Melhor Actor;
        2. Melhor Actor Secun­dá­rio;
        3. Melhor Actriz;
        4. Melhor Actriz Secun­dá­ria;
        5. Melhor Direc­ção Artís­tica;
        6. Melhor Foto­gra­fia;
        7. Melhor Guarda Roupa;
        8. Melhor Rea­li­za­dor;
        9. Melhor Carac­te­ri­za­ção;
        10. Melhor Mon­ta­gem;
        11. Melhor Som;
        12. Melhor Argu­mento Ori­gi­nal;
        13. Melhor Argu­mento Adap­tado;
        14. Melhor Banda Sonora Ori­gi­nal;
        15. Melhor Comu­ni­ca­ção e Pro­mo­ção.
          1. Serão ele­gí­veis a este pré­mio ape­nas os fil­mes que ane­xa­rem na sua can­di­da­tura no Film­Fre­eWay pelo menos o Pós­ter, Press Kit Elec­tró­nico (EPK) e Trai­ler, valo­ri­zando-se as can­di­da­tu­ras que incluam Pla­nos de Comu­ni­ca­ção, de Mar­ke­ting, Making Of ou Behind The Sce­nes, Clip­ping de imprensa ou outros items rele­van­tes para a ava­li­a­ção.
      1. Pré­mio Don Qui­jote /​Júri IFSS – Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes
        O Pré­mio D. Qui­jote é um pré­mio da IFFS – Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes atri­buído em Fes­ti­vais de Cinema sele­ci­o­na­dos, pro­mo­vendo o filme ven­ce­dor em todo o mundo atra­vés da rede de cine­clu­bes. A base para a selec­ção são a filo­so­fia movi­mento cine­clu­bista, como base o Plano de Tabor, dos Direi­tos do Público e da uto­pia Qui­jote.
      1. Pré­mio do Júri de Imprensa CISION;
        Este pré­mio visa dis­tin­guir uma obra cine­ma­to­grá­fica por­tu­guesa de qual­quer género e metra­gem, pre­sente na Selec­ção Cami­nhos, pro­mo­vendo o filme ven­ce­dor junto da imprensa escrita, radi­o­fó­nica e tele­vi­siva, aos níveis uni­ver­si­tá­rio, regi­o­nal e naci­o­nal.

Serão tidos em conta, na valo­ri­za­ção artís­tica de cada obra cine­ma­to­grá­fica, os seguin­tes cri­té­rios de ava­li­a­ção:
a) A qua­li­dade cine­ma­to­grá­fica do filme no seu con­junto.
b) O ritmo e a con­sis­tên­cia da mon­ta­gem apre­sen­ta­dos pelo filme.
c) A expres­si­vi­dade e qua­li­dade da foto­gra­fia e do som.
d) A coe­rên­cia esté­tica da obra cine­ma­to­grá­fica no seu esquema estru­tu­ral.
e) A har­mo­ni­za­ção das ima­gens na rela­ção com o som e/​ou banda sonora ori­gi­nal do filme.

No inte­resse de uma maior visi­bi­li­dade e reco­nhe­ci­mento público da cine­ma­to­gra­fia naci­o­nal, o Pré­mio de Imprensa CISION visa pre­miar o rigor e a ousa­dia esté­tica, tanto no plano nar­ra­tivo, como a nível da ima­gem cine­ma­to­grá­fica. Pre­tende-se, assim, valo­ri­zar a pro­du­ção naci­o­nal numa pers­pec­tiva artís­tica, que é uma das suas valên­cias mais expres­si­vas.

      1. Pré­mio do Público – Chama Ama­rela
        Este pré­mio será entre­gue medi­ante o escru­tí­nio e o cál­culo da média arit­mé­tica pon­de­rada expressa pelos espec­ta­do­res, em bole­tim de voto pró­prio, no final de cada ses­são da Selec­ção Cami­nhos.
      1. Selec­ção Ensaios
        1. Melhor Ensaio Naci­o­nal
        2. Melhor Ensaio Inter­na­ci­o­nal
    1. Os pré­mios podem incluir uma com­po­nente mone­tá­ria ou em espé­cie, depen­dendo dos patro­ci­na­do­res do Fes­ti­val.
  1. Sec­ções Para­le­las

Como forma de refor­çar a cine­ma­to­gra­fia ofe­re­cida a públi­cos espe­cí­fi­cos o fes­ti­val pro­move ainda a rea­li­za­ção de sec­ções para­le­las, não com­pe­ti­ti­vas, nome­a­da­mente:

    1. Juni­o­res
      A cap­ta­ção de um público jovem para o cinema por­tu­guês é fun­da­men­tal, pelo que desta forma os Cami­nhos Juni­o­res pre­ten­dem man­ter um espaço reser­vado à par­ti­ci­pa­ção das esco­las no fes­ti­val. Esta sec­ção apre­senta-se como um ser­viço edu­ca­tivo, tendo por base que ape­nas a expe­ri­men­ta­ção in loco de mui­tos minu­tos de pura magia para estas cri­an­ças tor­nará pos­sí­vel a cri­a­ção de hábi­tos de con­sumo desde a infân­cia no que diz res­peito ao cinema por­tu­guês.
    1. Juve­nis
      O cinema tem um impor­tante papel na ins­tru­ção cul­tu­ral do seu espec­ta­dor. Exis­tem fil­mes que, devido à sua ligei­reza temá­tica e téc­nica, ser­vem mera­mente para entre­ter quem o vê, fazendo esque­cer, não pen­sar, não conhe­cer. Os Cami­nhos pro­põem-se com esta sec­ção a levar ao público juve­nil uma fil­mo­gra­fia rele­vante para a cons­tru­ção de juízo crí­tico e conhe­ci­mento da cine­ma­to­gra­fia por­tu­guesa con­tem­po­râ­nea que possa vir a inte­grar o Plano Naci­o­nal de Cinema.
    1. Séni­o­res
      Os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês cons­ci­en­tes de que, nos dias de hoje, é cada vez mais difí­cil encon­trar ini­ci­a­ti­vas em que este seg­mento da popu­la­ção possa par­ti­ci­par. Pre­tende-se ofe­re­cer uma fil­mo­gra­fia que, para além de uma com­po­nente cul­tu­ral tenha igual­mente um papel impor­tante de cariz social e de inte­gra­ção na soci­e­dade.
    1. Mun­di­ais
      Nesta sec­ção ofe­rece-se ao público uma pro­gra­ma­ção hete­ro­gé­nea cru­zando fic­ção, docu­men­tá­rio e ani­ma­ção no for­mato de curta e longa metra­gem ao longo de um eixo temá­tico pre­do­mi­nante.
    1. Retros­pec­tiva
      As retros­pec­ti­vas pre­ten­dem olhar cri­ti­ca­mente para a his­tó­ria e para os inter­ve­ni­en­tes do Cinema Por­tu­guês pro­mo­vendo-se os mar­cos his­tó­ri­cos da lin­gua­gem e da ino­va­ção téc­nica e artís­tica.
    1. Repo­si­ção
      As repo­si­ções têm como objec­tivo ofe­re­cer uma segunda exi­bi­ção a títu­los de qua­li­dade sin­gu­lar ins­cri­tos nas Sec­ções Com­pe­ti­ti­vas do fes­ti­val pos­si­bi­li­tando que o Público e as equi­pas de Júri pos­sam rever e re-ana­li­sar alguns dos fil­mes mais mar­can­tes que são pro­pos­tos ao fes­ti­val para com­pe­ti­ção.
    1. Outros olha­res
      Os Cami­nhos são um espaço plu­ral e de con­flui­ção do Cinema Por­tu­guês. Nesse sen­tido pro­move-se um espaço reser­vado a outros olha­res sobre a prá­tica e o exer­cí­cio cine­ma­to­grá­fico pro­mo­vendo o der­rube do cânone e a pro­cura de novas lin­gua­gens.
  1. Lista Pri­o­ri­tá­ria de Fes­ti­vais e Pré­mios

Os fil­mes selec­ci­o­na­das para o fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês pode­rão con­cor­rer ao Sub-pro­grama de Apoio à Divul­ga­ção e Pro­mo­ção Inter­na­ci­o­nal de Obras Naci­o­nais, soli­ci­tando apoio finan­ceiro des­ti­nado a supor­tar des­pe­sas com a pro­mo­ção e par­ti­ci­pa­ção, na medida em que o fes­ti­val inte­gra a Lista de Fes­ti­vais Pri­o­ri­tá­rios do ICA I.P.

  1. Outras Dis­po­si­ções
    1. Os fil­mes ins­cri­tos no fes­ti­val serão incluí­dos na vide­o­teca do Fes­ti­val, ficando as enti­da­des orga­ni­za­do­ras auto­ri­za­das a usá-las nas suas acti­vi­da­des, durante e após o fes­ti­val, em bro­chu­ras, publi­ci­dade, inter­net, e ainda para outros fins pro­mo­ci­o­nais ou edu­ca­ci­o­nais, salvo indi­ca­ção expressa em con­trá­rio no momento da can­di­da­tura.
    2. Todos os fil­mes selec­ci­o­na­dos pode­rão ser con­sul­ta­dos durante o fes­ti­val por pro­fis­si­o­nais acre­di­ta­dos junto da orga­ni­za­ção.
    3. Para qual­quer outra uti­li­za­ção da obra, será sem­pre soli­ci­tado o con­sen­ti­mento por escrito dos res­pec­ti­vos auto­res.
  1. Casos Omis­sos
    1. À Comis­são Orga­ni­za­dora do fes­ti­val reserva-se o direito de deci­dir sobre os casos não pre­vis­tos no pre­sente Regu­la­mento bem como pro­ce­der a neces­sá­rias alte­ra­ções, dando conhe­ci­mento atem­pado a todos os inte­res­sa­dos.
    2. Deci­dir con­di­ções excep­ci­o­nais que per­mi­tam a sele­ção de um filme que não res­peite inte­gral­mente as cláu­su­las deste Regu­la­mento.
  1. Dis­po­si­ção Final

A ins­cri­ção para pré-selec­ção e par­ti­ci­pa­ção nas dife­ren­tes sec­ções com­pe­ti­ti­vas e para­le­las do fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês implica a lei­tura deste Regu­la­mento Ofi­cial bem como a sua acei­ta­ção

Coim­bra, 1 de maio de 2018