Equipas

Este fes­ti­val des­taca-se de outros por ser um espaço inclu­sivo de todo o cinema por­tu­guês”. Nesse sen­tido, orgu­lha­mos-nos de poder con­tar com este riquís­simo pai­nel de júris que irá ava­liar, nas dife­ren­tes selec­ções, o con­junto de fil­mes a con­curso. Não tendo sido uma tarefa fácil reu­nir este excelso grupo, espe­ra­mos que Coim­bra os saiba rece­ber de 1422 de Novem­bro para, em con­junto, ver­mos todo o cinema por­tu­guês.

Júri Selecção Caminhos

  • Mário Augusto

    Mário AugustoJornalista

    Nas­ceu no lugar de Espi­nho, Vila Nova de Gaia, em Março de 1963. Come­çou a car­reira de jor­na­lista em 1985, esta­gi­ando no jor­nal O Comér­cio do Porto, vindo pos­te­ri­or­mente a cola­bo­rar regu­lar­mente, sem­pre na área do cinema, no sema­ná­rio Sete e nas revis­tas Sábado, Cos­mo­po­li­tan, Nova, Caras, Invista e Focus.

  • Ivo Canelas

    Ivo CanelasActor

    Ivo Cane­las nas­ceu em Lis­boa a 23 de Dezem­bro de 1973. Fre­quen­tou o The Lee Stras­berg The­a­tre and Film Ins­ti­tute em Nova Ior­que, como bol­seiro da Fun­da­ção Calouste Gul­ben­kian. Da sua acti­vi­dade em tea­tro des­taca o tra­ba­lho com ence­na­do­res como Diogo Dória, José Wal­lens­tein, Sol­veig Nor­dlund, Fer­nanda Lapa, Luís Assis, Car­los Avi­lez, San­dra Faleiro ou Almeno Gon­çal­ves. Foi diri­gido por Jorge Silva Melo, entre outras, na peça A Queda do Egoísta Johan Fat­zer de Ber­tolt Bre­cht (1999).

  • Anabela Teixeira

    Anabela TeixeiraActriz

    Ana­bela Tei­xeira nas­ceu em 1973. Pos­sui o Curso de Acto­res do Ins­ti­tuto de For­ma­ção, Inves­ti­ga­ção e Cri­a­ção Tea­tral de Lis­boa – IFICT (1990÷1991) bem como o Curso de Acto­res da Escola Supe­rior de Tea­tro e Cinema de Lis­boa (1992÷1995). Em 1993 estreia-se pro­fis­si­o­nal­mente em tele­vi­são como pro­ta­go­nista da mini-série Viúva do Enfor­cado, diri­gida pelo bra­si­leiro Wal­ter Avan­cini ao mesmo tempo que faz parte do elenco prin­ci­pal do filme de Antó­nio de Macedo, Chá Forte com Limão. De então para cá par­ti­ci­pou em inú­me­ros fil­mes, tele­no­ve­las e mini-séries, bem como em outros pro­gra­mas de tele­vi­são.

  • Nicolau Breyner

    Nicolau BreynerActor e Realizador

    Nico­lau Brey­ner nas­ceu em 1940 e é um dos mais con­cei­tu­a­dos e aca­ri­nha­dos acto­res portugueses.Para além de actor é tam­bém autor (foi co-autor da pri­meira novela por­tu­guesa – Vila Faia), rea­li­za­dor e pro­du­tor.

  • Rita Ferro

    Rita FerroEscritora

    Rita Ferro nas­ceu em Lis­boa, em 1955. Estu­dou Design, espe­ci­a­li­zou-se em Mar­ke­ting, foi pro­fes­sora de publi­ci­dade redi­gida e exer­ceu fun­ções de direc­ção e con­sul­to­ria em diver­sas empre­sas. Ini­ciou-se na escrita em 1990. Escre­veu vinte livros em vinte anos, entre roman­ces, car­tas, bio­gra­fias, livros de cró­ni­cas e lite­ra­tura infan­til. Além de pre­sença regu­lar na imprensa, na rádio e na TV, criou um curso de Incen­tivo à Cri­a­ção Lite­rá­ria. Foi, por diver­sas vezes, jurada de con­cur­sos lite­rá­rios e de cinema.

  • Soraia Chaves

    Soraia ChavesActriz e Modelo

    Soraia Cha­ves nas­ceu em Bes­tei­ros, con­ce­lho de Pare­des, a 22 de Junho de 1982. Depois de ter ganho o con­curso Elite Model Look Por­tu­gal aos 15 anos, em 1997, Soraia foi modelo durante 8 anos. A sua estreia no cinema e nas luzes da ribalta deu-se com o seu papel da pro­ta­go­nista Amé­lia no filme O Crime do Padre Amaro. A sua inter­pre­ta­ção no filme, que foi um sucesso em Por­tu­gal, deu-lhe fama ime­di­ata e virou as aten­ções naci­o­nais para a ex-modelo.

  • Vicente Alves do Ó

    Vicente Alves do ÓRealizador

    Assi­nou o pri­meiro argu­mento em 2000, Mon­santo”, um tele­filme da Sic­Fil­mes rea­li­zado pelo moçam­bi­cano Ruy Guerra. Este pro­jecto abriu-lhe as por­tas da tele­vi­são e do cinema. Mudou-se para Lis­boa, vivia em Sines, no Alen­tejo, e rapi­da­mente come­çou a tra­ba­lhar com outros rea­li­za­do­res.

  • Gisela João

    Gisela JoãoFadista

    O ano em que se estreou com um disco que depois de ter sido entu­si­as­ti­ca­mente rece­bido pela crí­tica, espe­ci­a­li­zada e não só, foi con­si­de­rado o melhor álbum naci­o­nal do ano por publi­ca­ções de refe­rên­cia como a Blitz, o Expresso, o Público, a Time Out, o site musi­cal Coto­nete e mesmo os Glo­bos de Ouro tendo atin­gido ven­das que já lhe vale­ram um Disco de Ouro.

Júri Selecção Ensaios

  • Artur Serra Araújo

    Artur Serra AraújoRealizador

    Nas­cido em 1977, Serra Araújo com­pleta a licen­ci­a­tura de Som e Ima­gem na Escola das Artes da Uni­ver­si­dade Cató­lica em 2003. Depois de rea­li­zar as cur­tas metra­gens Uma Comé­dia Infe­liz e Frio, com as quais rece­beu exce­lente acei­ta­ção por parte do público e da cri­tica, aven­tura-se na escrita de tea­tro com a peça Alter Ego, levada à cena pelo Tea­tro Bruto em 2006. No ano seguinte, apre­senta a pri­meira longa metra­gem, Sui­ci­dio Enco­men­dado, sendo-lhe atri­buído, entre outros, o pré­mio espe­cial do júri do Fan­tas­porto 2007.

  • Francisco Dias

    Francisco DiasProfessor

    Fran­cisco Dias é Pro­fes­sor Adjunto no Ins­ti­tuto Poli­téc­nico de Lei­ria (Por­tu­gal), exer­cendo aí fun­ções de docente e de coor­de­na­dor da Licen­ci­a­tura em Ani­ma­ção Turís­tica no seu Cam­pus 4 – Escola Supe­rior de Turismo e Tec­no­lo­gia do Mar (ESTM), em Peni­che. Tam­bém cola­bora como docente na Pós-Gra­du­a­ção Inter­na­ci­o­nal de Bran­ding e Busi­ness na UNIVATES, em Laje­ado, Rio Grande do Sul, Bra­sil.

  • Tiago R. Santos

    Tiago R. SantosArgumentista

    Tiago R. San­tos nas­ceu em 1976 e, depois de uma curta car­reira como jor­na­lista, ini­ciou o seu tra­ba­lho de argu­men­tista em 2007 com Call Girl.

Júri Internacional IFFS/​FICC

  • José Santiago

    José SantiagoPortugal

    Licen­ci­ado em Comu­ni­ca­ção Social no Ins­ti­tuto Supe­rior Miguel Torga, sem­pre esteve ligado ao ramo da comu­ni­ca­ção nos seus mais vari­a­dos for­ma­tos.

  • Tariq Porter

    Tariq PorterEspanha

    Tariq Por­ter (Bar­ce­lona, 1988). Licen­ci­ado em Belas Artes na Uni­ver­si­dade de Bar­ce­lona e um Mes­tre em Fic­ção Cinema e Tele­vi­são na Uni­ver­si­dade Ramon Llull.

  • Ruben Miranda

    Ruben MirandaAlemanha

    Ruben Miranda tra­ba­lha como um mem­bro activo do cinema muni­ci­pal (Kom­mu­na­les Kino-Frei­burg) desde de 2012, como revi­sor e ini­ci­a­dor de even­tos. Para além do seu com­pro­misso cine­ma­to­grá­fico local, está envol­vido com o KAN-KAN Media, tam­bém desde de 2012, um pro­jecto de artes visu­ais que pro­move e cria novos cená­rios e pla­ta­for­mas para a per­muta de cul­tura e artes visu­ais por todo o mundo.

Júri Imprensa

  • Elizabete Agostinho

    Elizabete AgostinhoJornalista

    Nas­ceu em Paris, em 1978, mas a pai­xão por Por­tu­gal trouxe-a a Coim­bra, quando fez 18 anos, para tirar o curso de jor­na­lismo da Facul­dade de Letras. Depois da pós-gra­du­a­ção em Direi­tos Huma­nos e Demo­cra­ti­za­ção, da Facul­dade de Direito, foi ficando em ter­ras lusas onde exer­ceu jor­na­lismo em diver­sos órgãos de comu­ni­ca­ção social.

  • Fernando Moura

    Fernando MouraJornalista

    Exerce a sua acti­vi­dade pro­fis­si­o­nal nas áreas da comu­ni­ca­ção social, publi­ci­dade e redes soci­ais. Foi res­pon­sá­vel pela cri­a­ção e desen­vol­vi­mento de vários órgãos de comu­ni­ca­ção social, sobre­tudo nas áreas da imprensa e radi­o­di­fu­são, tendo alguns des­tes sido adqui­ri­dos por mul­ti­na­ci­o­nais. Tem ainda uma vasta expe­ri­ên­cia no sec­tor da comu­ni­ca­ção empre­sa­rial e ins­ti­tu­ci­o­nal, publi­ci­dade e social media, tendo fun­dado e diri­gido vários pro­jec­tos nes­tes sec­to­res. É direc­tor de Notí­cias de Coim­bra e Diá­rio da Saúde.

  • Luísa Sequeira

    Luísa SequeiraJornalista, Realizadora e Programadora Cultural

    For­mada em Ciên­cias da Comu­ni­ca­ção com espe­ci­a­li­za­ção em rea­li­za­ção de docu­men­tá­rios, ini­ciou a car­reira em Moçam­bi­que na TVM. Durante 10 anos tra­ba­lhou em tele­vi­são pro­du­zindo e coor­de­nando vários pro­jec­tos na área dos pro­gra­mas e docu­men­tá­rios. Coor­de­nou, pro­du­ziu e apre­sen­tou o Foto­grama” da RTP, o único pro­grama exclu­si­va­mente dedi­cado à pro­mo­ção do cinema em lín­gua por­tu­guesa.

  • Manuel Halpern

    Manuel HalpernJornalista

    Jor­na­lista e crí­tico do JL – Jor­nal de Letras Artes e Ideias desde 1998 e cola­bo­ra­dor regu­lar da revista Visão, Manuel Hal­pern nas­ceu em Lis­boa no ano da Revo­lu­ção dos Cra­vos.

  • Pedro Ribeiro

    Pedro RibeiroJornalista

    Natu­ral de Coim­bra, ainda jovem, resol­veu seguir a car­reira de jor­na­lista. Come­çou numa rádio pirata, pas­sou pelo Diá­rio de Coim­bra, TSF, Jor­nal de Coim­bra e Jor­nal O Jogo. No iní­cio dos anos 90 esteve em Espa­nha onde em Jerez de la Fron­tera – Sevi­lha, fez está­gio na rádio e tele­vi­são Onda Jerez. Ao mesmo tempo tirou o curso de Espa­nhol.

Público

O Público tem uma pala­vra a dizer no pal­ma­rés de cada edi­ção dos Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês. O Pré­mio do Público — Chama Ama­rela será entre­gue medi­ante o escru­tí­nio e o cál­culo da média arit­mé­tica pon­de­rada expressa pelo espec­ta­do­res, em bole­tim de voto pró­prio, no final de cada ses­são da Selec­ção Cami­nhos.

Chama Amarela