Júri Ensaios

  • Afonso Pimentel

    Afonso Pimentel

    Estreou-se com catorze anos numa longa-metra­gem de Luís Filipe Rocha, Adeus Pai (1996), que lhe valeu o Pré­mio de Melhor Actor Jovem do Fes­ti­val Inter­na­ci­o­nal de Mos­covo (1997). Desde então teve par­ti­ci­pa­ção em várias séries, nove­las e tele­fil­mes por­tu­gue­ses. Em 2003 foi diri­gido por João Lou­renço no Tea­tro Aberto, em Demó­nios Meno­res de Bruce Graham, tra­ba­lhando com o mesmo ence­na­dor em Gali­leu Gali­lei de Ber­tolt Bre­cht, em 2006. Par­ti­ci­pou tam­bém na peça Pedras Rolan­tes de Pedro Ribeiro, numa ence­na­ção de Antó­nio Pires (2004).

  • Dinarte Branco

    Dinarte Branco

    Fre­quen­tou o Curso de For­ma­ção de Acto­res da ESTC. Par­ti­ci­pou como actor em espec­tá­cu­los ence­na­dos por Luís Miguel Cin­tra, Jorge Silva Melo, Joa­quim Benite, Ana Nave, San­dra Faleiro, Nico­lau dos Mares, Fran­cisco Sal­gado, Pedro Car­raca, Ricardo Aibéo, Miguel Sea­bra, Tiago Rodri­gues, Chris­tine Lau­rent, Car­los J.Pessoa, Marco Mar­tins, Adri­ano Luz, Sol­veig Noder­lund, Pedro Mar­ques, Nuno M Car­doso e Bea­triz Batarda. Par­ti­ci­pou no espec­tá­culo Point Blank”, da com­pa­nhia belga STAN.

  • Ricardo Pugschitz de Oliveira

    Ricardo Pugschitz de Oliveira

    Nas­ceu em Cas­cais em 1977. Come­çou desde logo, aos dois anos de idade, a par­ti­ci­par em fil­mes de publi­ci­dade ins­ti­tu­ci­o­nal que lhe incu­ti­ram a von­tade de não mais se sepa­rar do mundo das câma­ras e das luzes. Foi com a oferta da sua pri­meira câmara de foto­gra­far Canon AE-1 que des­co­briu a mani­pu­la­ção da câmara e o efeito disso na reten­ção de ima­gens, que iam para além disso e indu­ziam inter­pre­ta­ções e emo­ções. E per­ce­beu que, acima de tudo, era o cinema e a câmara que lhe inte­res­sa­vam. O enqua­dra­mento, a ilu­mi­na­ção, o que se quer dizer atra­vés da com­po­si­ção, são o uni­verso que o atrai e desa­fia a com­pre­endê-lo, replicá-lo e, se assim o con­se­guir, con­tri­buir para a sua ino­va­ção.

  • João Antero

    João Antero

    Rea­li­za­dor, direc­tor de foto­gra­fia e ope­ra­dor de câmara, é licen­ci­ado em Cinema, em 1982, pela ECAUSP – São Paulo, Bra­sil. É pro­fes­sor na Uni­ver­si­dade Lusó­fona, onde lec­ci­ona 5 cadei­ras (Op. de Estú­dio e Con­trolo de Ima­gem, Direc­ção de Foto­gra­fia, Ate­lier de Ima­gem, Op. de Câmara, e Téc­ni­cas de ima­gem em Movi­mento) nos cur­sos de Cinema, Vídeo e Comu­ni­ca­ção Mul­ti­mé­dia. Mem­bro cor­res­pon­dente das Aca­de­mia Naci­o­nal de Belas Artes e Aca­de­mia de Letras e Artes Por­tu­gal.

  • Sílvia Almeida

    Sílvia Almeida

    Síl­via Almeida nas­ceu em Aveiro em 1984. Cedo ruma a Lis­boa, na sua for­ma­ção des­ta­cam-se: curso inten­sivo Act- acto­res Tea­tro, Cinema e Tv, (de onde se des­ta­cam tra­ba­lhos com João Canijo, Antó­nio Pedro Vas­con­ce­los, Dimi­try Bogo­mo­lov), uma licen­ci­a­tura em Artes do Espec­tá­culo na FLUL e um Mes­trado na ESTC. Ini­ciou a sua car­reira pro­fis­si­o­nal como actriz em 2004, em Lis­boa no Tea­tro Naci­o­nal D. Maria II com o espec­tá­culo: Os Lusía­das Rumo ao Ori­ente” de Antó­nio Pires. Durante 10 anos tra­ba­lhou em diver­sos pro­jec­tos de Tea­tro, Cinema e TV expe­ri­men­tando dife­ren­tes téc­ni­cas. Pas­sando por salas como: Tea­tro Naci­o­nal D Maria II Lis­boa e Tea­tro Naci­o­nal de São João no Porto, Tea­tro da Trin­dade, São Car­los e com­pa­nhias como: O Bando, Lemon Enter­tain­ment, Ines­té­tica, Mar­tim Pedroso, Miguel Moreira.