Os pré­mios que se apre­sen­tam em regu­la­mento pode­rão pare­cer vas­tos, mas são a res­posta clara de um fes­ti­val, que na sua 23.ª edi­ção, almeja pre­miar mais uma vez todo o cinema por­tu­guês”. Assim, os fil­mes inte­gran­tes da Selec­ção Cami­nhos pro­põem-se ao Pré­mio D. Qui­jote da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes, se legen­da­dos ou dia­lo­ga­dos em inglês ou fran­cês. Pode­rão ainda ser con­si­de­ra­dos os fil­mes ausen­tes de diálogos.

O Pré­mio D. Qui­jote é um pré­mio da IFFS – Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes atri­buído em Fes­ti­vais de Cinema sele­ci­o­na­dos. O Júri FICC em cada Fes­ti­val é com­posto por ciné­fi­los de qual­quer país do mundo, sele­ci­o­na­dos de entre as can­di­da­tu­ras das várias Fede­ra­ções Naci­o­nais de Cineclubes.

A cons­ti­tui­ção deste júri será anun­ci­ada em breve.