20141118-MASTER-1.jpg

Mastersessions da 23.ª edição


As mastersessions são espaços de debate promovidos pelo festival que respondem a um conjunto de temáticas definidas em torno dos eixos curatoriais presentes na programação de cada edição, promovendo-se assim um espaço de reflexão em interacção com os diferentes públicos. As sessões decorrem após as exibições da noite no Teatro Académico de Gil Vicente.

Promover e premiar o cinema português tem sido a nossa missão desde 1988, mas a sensibilização dos públicos para o nosso cinema não se pode fazer apenas pela projecção no grande ecrã. Desta forma os Caminhos caracterizam-se não só pela heterogeneidade da sua programação, mas também do leque de actividades que propõe anualmente. A formação de públicos, passa tanto pelo ensino, pelo consumo, bem como pela discussão daquilo que é o nosso cinema.

Nesta 23.ª edição estão programadas três sessões master session; "Primeiros Planos - Da Escola até ao Primeiro Filme; "A distribuição do Cinema Português"; e "O Outro Eu".

Primeiros Planos
Da Escola até ao Primeiro Filme

2017/11/28
Com o objectivo de dar a compreender a estes como são realizados e produzidos os primeiros filmes após a escola de cinema, os Caminhos gostariam de o convidar a participar na Master Session dedicada aos "Primeiros Planos - Da Escola até ao Primeiro Filme”. O que é preciso os jovens realizadores fazerem para poder singrar neste meio, Quais serão as maiores oposições que eles poderão encontrar?

Moderação de Fernando Vasquez

  • Nuno Rocha

    Nuno Rocha

    Licenciou-se pelo Instituto Politécnico do Porto no Curso de Comunicação Audiovisual. Em 2009 estudou Advanced Directing na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. A sua curta-metragem “3x3” foi a grande vencedora da primeira edição do Prémio Zon e alcançou desde então mais 19 prémios em todo o mundo.

  • Fernando Vasquez

    Fernando Vasquez

    Natural da cidade do Porto, Fernando Vasquez licenciou-se em Cinema na Buckinghamshire Chilterns University College e tirou uma Pós-Graduação em jornalismo na London School of Journalism. Após trabalhar em diversas produções cinematográficas, passou a dedicar-se ao jornalismo e critica de cinema para diversas publicações no Reino Unido, Portugal e Brasil, como o "Independent on Sunday", "Bulb Magazine" e Revista Sai. Desde 2010 que trabalha no FEST - Novos Realizadores | Novo Cinema (www.fest.pt) como Director de Programação Cinematográfica. Entre 2012 e 2016 acumulou também diversas funções na Nisi Masa - Rede Europeia de Cinema Jovem, onde foi Director do Departamento de Debate e Chefe de Redacção da revista "Nisimazine", onde orientou diversas workshops de crítica de cinema em festivais como Cannes, Roterdão, Veneza e San Sebastian, entre muitos outros. Fernando Vasquez também trabalha frequentemente com várias produtoras e realizador independentes a definir estratégias de distribuição internacional de cinema. Nos últimos anos Fernando Vasquez foi membro de diversos júris de competições de filmes, projectos e sessões de pitching em eventos como Kort Film Festival (Noruega), Shortwaves (Polónia), Valleta Film Festival (Malta), Primer Test e Rec Film Festival (Espanha).

  • Luís Campos

    Luís Campos

    Fundador da Squatter Factory em 2014, Luis Campos teve a oportunidade de fazer um programa de intercâmbio na Savage Film na Bélgica com Bart van Langendonck e outro na RT Features em São Paulo com Rodrigo Teixeira. É o criador, promotor e director criativo do GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa e do PLOT – Professional Script Lab. Em 2017 Luis foi seleccionado para o Berlinale Talents e para o lançamento do Propellor Film Tech. CARGA, o seu filme mais recente, tem sido exibido em vários festivais internacionais e conquistou o prémio de Melhor Filme no New York Portuguese Short Film Festival 2017.

  • Flávio Ferreira

    Flávio Ferreira

    Flávio Ferreira (Portugal, 19 de Novembro de 1992) é um jovem cineasta, realizador de várias curta metragens, apresentadas mais de 30 vezes, entre festivais e mostras de cinema, inclui-se "Pele de Cordeiro" (2015) vencedor da Bolsa EDP Manoel de Oliveira e "Terras de quem sou" (2015), documentário realizado no âmbito do "Plano Frontal", residência artística integrada no festival "Filmes do Homem" (e com estreia na abertura do mesmo). Foi também primeiro assistente de realização do filme "O Guardador" (2015) de Rodrigo Areias. Recentemente foi seleccionado para um workshop em Cuba com Werner Herzog onde desenvolveu a curta documental "Norley y Norlen", vencedora do Prémio FAMU de Melhor Filme dos Verdes Anos no Doclisboa, e para um workshop em Ourense (Espanha) com Victor Erice onde realizou uma curta de ficção. Também esteve no Brasil onde realizou um curso extensivo de Assistência de Realização na Academia Internacional de Cinema do Rio de Janeiro.

A Distribuição do Cinema Português

2017/11/30
E o nosso cinema vive de públicos. Uns encontrados outros desencontrados com a nossa produção fílmica. Porquê? O que falha? Porque é que portugal tem uma das mais baixas relações de espectadores com os filmes produzidos no seu país da união europeia? Pode a distribuição alternativa trazer um novo fulgor ao nosso cinema, ou devem os multiplex promover mais a sua exibição? O futuro do cinema passa pela exibição em sala?

Moderação de João Viana, em representação da Associação de Produtores de Cinema e Audiovisual

  • Nuno Gonçalves

    Nuno GonçalvesCinemundo

    Nuno Gonçalves é licenciado em Ciências Históricas pela Universidade Lusíada de Lisboa. Iniciou o percurso profissional numa empresa multinacional, da área do grande consumo em Madrid, Amesterdão, Colónia, e mais tarde em Portugal. Foi Diretor de Marketing da Edivideo (representante dos catálogos das Majors americanas Paramount, Universal, Dreamworks e 20th Century Fox). Posteriormente foi Director Comercial de Distribuição e Exibição da Filmes Castello Lopes, representante à época dos catálogos da 20th Century Fox e Miramax na distribuição para cinema. A partir de 1999 integra os quadros da Lusomundo, inicialmente como Director de Marketing e posteriormente como Director Comercial, tendo mais tarde sido nomeado Director Geral. Com a compra da Lusomundo pela PT Portugal e com o posterior split para a ZON, é nomeado Administrador Executivo da ZON Lusomundo Audiovisuais. Desde janeiro de 2015 é partner da Cinemundo.

  • Stefano Savio

    Stefano SavioFilmin

  • Carlos Gaio

    Carlos GaioCinanima

    Carlos Luís Gaio, nasceu em Espinho em 15 de abril de 1980. É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto, exerceu advocacia e atualmente trabalha como jurista. No que respeita a atividades desenvolvidas em regime de voluntariado e num espírito de dinamização cultural: Colabora com o CINANIMA regularmente desde 1997, tendo estado ligado a várias áreas do festival, desde a produção de conteúdos editioriais, secretariado de júris, a programação, entre outras atividades operacionais do festival, integrando atualmente a sua Comissão Organizadora (desde 2004); Foi redator do jornal local "Maré Viva" entre os anos de 1998 a 2002, tendo assumido as funções de editor de cultura deste semanário de fevereiro de 2005 a julho de 2006; Entre 1999 e 2003 foi redator no Jornal "A Tribuna" da FDUP; É ator no Teatro Popular de Espinho desde 1992; Desde 1994 que é ativista regular da "Nascente, Cooperativa de Ação Cultural", tendo feito parte da direção em diversos mandatos; Participa regularmente em sessões de poesia em Espinho e no Porto; e colabora pontualmente com diversos agentes criativos na produção de conteúdos e escrita criativa. É um amante da sétima arte em geral e do cinema de animação em particular, marcando presença em vários festivais de cinema no nosso país e estrangeiro.

  • Elsa Mendes

    Elsa MendesPlano Nacional de Cinema

    Licenciou-se em História (1983), na F.L.U.L. - Universidade de Lisboa. Concluiu o Mestrado em História de Arte (2000), na F.C.S.H. - Universidade Nova de Lisboa, com um estudo sobre A Obra do arquitecto Rosendo Carvalheira (1863-1919) e obteve o grau de Doutora em Letras, no ramo de Estudos de Cultura e de Literatura - Especialidade em Estudos Americanos - Cinema, na Universidade de Lisboa, com tese subordinada ao tema A Cruz, o Gládio e a Espada: representações da História no cinema de Cecil B. DeMille (1881-1959). É professora do Ensino Secundário na Escola Secundária Dr. José Afonso (Seixal) e é formadora de professores. No presente ano letivo de 2014-15 assumiu a coordenação do Plano Nacional de Cinema. Tem colaborado em artigos que foram publicados no âmbito de projectos mais vastos: Dicionário Biográfico Parlamentar: 1834-1910 (2005), Portugal Património: Guia Inventário (2007). Tem comunicações publicadas no âmbito de História da Arte e de Estudos Fílmicos. Tem como áreas privilegiadas de investigação a História da Cultura Contemporânea, os Estudos Fílmicos e as áreas de Cinema e História e Cinema e Educação.

  • João Viana

    João VianaAssociação de Produtores de Cinema e Audiovisual

    João Viana nasceu em Angola, em 1966. Entre 1988 e 1994, licenciou-se em direito em Coimbra e estudou cinema no Porto. Trabalhou em produção, som, story-board, realização e finalmente argumento. Em 2007 escreveu “ Olhos Vermelhos” para Paulo Rocha. Entretanto trabalhou com cineastas como José Alvaro, Rob Rombout, Filipe Rocha, Sagueneil, Seixas Santos, Cesar Monteiro, Grilo, Biette, Manuel de Oliveira , Schroeter… Começou a realizar os seus próprios filmes em 2004, ao lado de Iana Ferreira, com o filme A PISCINA(Festival de Veneza, em competição) a que se seguiram A BATALHA DE TABATÔ e TABATÔ ambas premiadas em Berlim 2013. Presentemente trabalha na sua segunda longa metragem, produzida pela produtora que fundou, Papaveronoir. Actualmente é Secretário-Geral da Associação de Produtores de Cinema e Audiovisual.

O Outro Eu

2017/12/01
Como e de que maneira a criação de um projecto cinematográfico pode influenciar a nossa vida? Actores, realizadores e todos os outros intervenientes na realização de um filme passam por experiências que os levam a criar "Um Outro Eu". Um Eu distante de quem somos ou um Eu que se modifica através e aquando da experiência cognitiva, criando-se a cisão de quem sou e de quem digo ser.
Moderação de Bruno Fontes

  • Jorge António

    Jorge AntónioProdutor

    Divide a sua vida particular e profissional entre Portugal e Angola. Cedo se dedicou ao cinema, desenvolvendo uma atividade cineclubista e realizando filmes amadores em Super 8. Formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema, especializou-se na área de Produção, em 1988.

  • Bruno Fontes

    Bruno FontesInvestigador

    Bruno Fontes licenciou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e concluiu, na mesma instituição, o Mestrado em Estudos Artísticos, na área de estudos fílmicos. Tem desenvolvido atividades em conjunto com diversas associações culturais em Coimbra, no Porto e na Figueira da Foz. As suas áreas de interesse centram-se no diálogo do cinema com as outras artes, das quais se destacam a literatura e a música, e na análise da arte e da cultura de massas na sociedade contemporânea. Está neste momento a frequentar o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura na Universidade de Coimbra.

  • Luís Vieira Campos

    Luís Vieira CamposRealizador / Produtor

    Luís Vieira Campos nasceu no Porto em 1964. Terminou o curso de Cine e Vídeo da ESAP- Escola Superior Artística do Porto em 1989 e foi estagiário de Realização de Manoel de Oliveira na rodagem do filme Divina Comédia. Foi colaborador da RTP- Radiotelevisão Portuguesa como Operador de Control de Imagem e pertenceu aos quadros da Socivídeo e da Alfândega Filmes onde produziu e realizou um vasto trabalho de filmes de carácter promocional e institucional. Desenvolveu a actividade de Formador na área de Produção Audiovisual e Multimédia na Escola das Artes- Universidade Católica Portuguesa, na Alquimia da Côr e no Instituto Multimédia, entre outros. Foi Programador de Cinema da Sala Estúdio do TCA- Teatro do Campo Alegre, no Porto. Em 2008 fundou a Filmes Liberdade.

  • Mauro Soares

    Mauro SoaresActor

    Mauro Soares nasceu em 1988 (Viseu, Portugal). Em 2006 muda-se para Lisboa onde cursou Mestrado Integrado em Engenharia Química e Bioquímica na FCT/UNL. Aí integra o Novo Núcleo Teatro (NNT), em 2009, estrutura cuja direcção só abandona em 2016, tendo produzido e apresentado trabalhos premiados em palcos nacionais e internacionais. Já na Associação Cultural Artes e Engenhos (A+), cuja direcção também integra, tem consistentemente apresentado trabalhos desde 2012. Em Janeiro de 2017, estreia no International Film Festival Rotterdam "António Um Dois Três", que protagoniza, dirigido por Leonardo Mouramateus. Nesse mesmo ano integra o elenco das novas longas metragens do director brasileiro Tavinho Teixeira, e da directora portuguesa Rita Azevedo Gomes. Actualmente desenvolve projectos de longas metragens com Leonardo Mouramateus e Paula Gaitán.

  • Leonardo Mouramateus

    Leonardo MouramateusRealizador

    Leonardo Mouramateus nasceu em 1991 em Fortaleza, Brasil. Escreveu e dirigiu uma dezena de premiados curta-metragens exibidos em festivais como Locarno, Cinema du Réel, Festival dei Popoli e Indielisboa, entre muitos outros. Seus filmes também foram mostrados em museus como o Centre Pompidou em Paris ou MASP em São Paulo. Recentemente, retrospectivas de seu trabalho foram apresentadas em importantes instituições, mais notavelmente na Cinemateca Francesa. Leonardo é sócio da produtora Praia à Noite. António Um Dois Três, seu primeiro longa-metragem, estreou na sessão Bright Future do Festival de Cinema de Rotterdam, e foi posteriormente exibido em festivais como o BAFICI, Indielisboa e CPH:PIX.

Related Posts