Cinemalogia-abril.jpg

Montagem de Som e Imagem


Em abril começámos o percurso final da produção de uma obra cinematográfica. A pós-produção engloba o tratamento de todos os brutos de som e imagem produzidos ao longo de uma rodagem. Nesta fase é essencial a organização de todo o material imagético e sonoro bem como a consistência estética de toda a obra.

Desde novembro os formandos da 5.ª edição do Curso de Cinema - Cinemalogia ‘da ideia ao filme’ - caminharam pelas grandes etapas de produção de um filme sempre próximos das várias iterações sociais que a publicação de um livro implica. Em cinco longos dias de rodagem os formandos produziram mais de duas centenas de minutos de audiovisual. O livro sobre a vida de Joaquim Neves está quase a dar um filme! Como irão eles decupar todo o material produzido por forma a criar a curta que eles idealizam?

Sob a coordenação de Edgar Feldman, os formandos irão organizar, seleccionar e montar a imagem e o som de todas as cenas e planos filmados. Cabe a eles articular todos estes materiais de forma a que criem ao espectador de forma invisível a ilusão do espaço e do tempo. Edgar Feldman é um dos mais antigos e galardoados montadores nacionais tendo colaborado com alguns dos realizadores Portugueses mais conceituados como Paulo Rocha, Ivo M. Ferreira, João Salaviza ou João Viana.

Concluída a montagem é tempo de verificar a qualidade do som e o sincronismo entre o visual e o sonoro. Nesta fase é essencial potenciar a expressividade do filme tirando partido dos sons gravados em cena, do décor ou de ambiente re-combinando-os com esse objectivo máximo. As decisões durante a edição de som são definitiva e marcam o começo da distribuição do filme. Os trabalhos serão coordenados por Hugo Leitão um dos mais reputados sound designers nacionais. A sua carreira começou nos Estúdios da TOBIS sob coordenação de Branko Neskov e actualmente colabora com realizadores consagrados como Margarida Cardoso, Gabriel Abrantes ou Pedro Costa.
Posteriormente ao trabalho de som voltamos-nos a debruçar sobre a imagem. Com a coordenação de Marco Amaral vamos procurar uniformizar a cor, luminosidade e contraste dos vários planos que formam a curta-metragem, bem como o equilíbrio de cores desejado neste “banho de paragem”. Marco Amaral tem trabalhado sobretudo em cinema de ficção tendo já colaborado em mais de cinquenta filmes.


Acabamos o mês de maio com uma das decisões mais fulcrais! O Título do filme! Nesta altura já não pode ser provisório em temos de elaborar o seu design. Os títulos em cinema são uma peça crucial à introdução de um filme, estabelecem o ambiente e funcionam como um prelúdio à experiência que se lhes segue. Pedro Mesquita, do multi-premiado atelier This Is Pacifica, coordenará os trabalhos de criação dos títulos iniciais e finais definindo-se uma identidade gráfica para a curta-metragem.
2016-03-23_19.11_Em-Paragem-Dia-4-caminhos, cinema, cinemalogia, Curta-Metragem, Nuno Rocha, português, Rodagem_

O curso terá a sua conclusão em maio tendo espaço para a criação da Banda Sonora do filme mas também com módulos fulcrais para a distribuição do filme como Comunicação Digital, com Eduardo Nunes, Tradução e Legendagem, com Maria José Vieira ou Marketing Cinematográfico com Saúl Rafael.

Related Posts