Realização

Plano

No cinema é frequente atravessarmos um ponto onde abandonamos o mundo que nos situa. Percebemos então que a ficção se sobrepôs à realidade, fazendo-nos questionar, rir ou emocionar sobre uma imagem bidimensional projectada numa tela branca. Foi sem dúvida a partir de lá que alguém conseguiu codificar uma mensagem, manipular personagens e fazer confluir intervenções artísticas que resultam na alienação de um conjunto de sujeitos. É algures neste processo que o coração dispara e começa, depois, a bater num ritmo estranhamente confortável até os olhos sentirem um ardor vulgarmente associado à emoção de quem presenciou Arte. Concluímos então que apreendemos um objecto artístico e que, muito provavelmente, alguém realizou um filme.

1. Sentir ou fazer sentir?
Escolha do processo comunicativo.

2. Adaptar o conhecimento à prática.
Escolha do processo construtivo.

3.Escolhas e Adaptações
3.1. O Guião e o Significado
3.2. Casting
3.3. Actores e Perfis
3.4. Repérage

4.Planificação
4.1. Planos e Timings
4.2. Decoupage
4.3. Sequencias

5. Procurar ou Enquadrar
5.1. Câmara fixa
5.2. Câmara ao ombro

6- Movimento e Dinamismo
6.1. Steadycam
6.2. Travellings
6.3. Panorâmicas
6.4. Tilts

7. Personagens e Lentes
71. Distancia e voyeurismo
7.2. Proximidade e Intimidade
7.3. A profundidade de campo e o estado psicológico

8. Iluminação e Densidade
8.1. Sombras
8.2. Recortes
8.3. Relevos

9. Do diálogo ao Ritmo
9.1. À mesa
9.2. No carro
9.3. Na cama

10. Arte contra Estilo
10.1. Estética
10.2. Identidade
10.3. Do Feio ao Belo

11. Preencher ou Simplificar
11.1. Figuração
11.2. Inserções
11.3. Realidades paralelas

12. Solução Final - Montagem

Todos os pontos serão aprofundados com recurso a exemplos ou exercícios de componente prática.

 

 

 

 

Info

Data
25 a 28 de Março de 2013

Duração
32 horas

Horário
9:00 - 18:00

Artur Serra Araújo

Nascido em 1977, Serra Araújo completa a licenciatura de Som e Imagem na Escola das Artes da Universidade Católica em 2003. Depois de realizar as curtas metragens Uma Comédia Infeliz e Frio, com as quais recebeu excelente aceitação por parte do público e da critica, aventura-se na escrita de teatro com a peça Alter Ego, levada à cena pelo Teatro Bruto em 2006. No ano seguinte, apresenta a primeira longa metragem, Suicidio Encomendado, sendo-lhe atribuído, entre outros, o prémio especial do júri do Fantasporto 2007. Em 2010, estreou Desavergonhadamente Real, recentemente premiada no shortcutz Lisboa como melhor curta-metragem do ano, melhor realizador e melhor montagem. Já em 2012 apresentou a sua segunda longa metragem, A Moral Conjugal, conquistando novamente o prémio especial do júri no Fantasporto 2012.

Local
Mini-Auditório Salgado Zenha

Estúdios UCV
Casa das Caldeiras
Rua Padre António Vieira
3000-315 Coimbra, Portugal