Regu­la­mento Oficial

Regu­la­mento Oficial

1.- Fina­li­da­des do Evento

1.1.- Cami­nhos Film Fes­ti­val têm como fina­li­dade geral do pro­jecto refor­çar o acesso à cul­tura cine­ma­to­grá­fica Por­tu­guesa, pro­mo­vendo a sua divul­ga­ção, os ele­men­tos para à sua com­pa­ra­ção e compreensão.

1.2.- Para além disso em cada edi­ção o pro­jecto deverá refor­çar os laços de comu­ni­dade e iden­ti­dade local exis­ten­tes, pro­mo­vendo a inte­gra­ção numa iden­ti­dade e comu­ni­dade nacional.

2.- Objec­ti­vos Gerais e Defi­ni­ção Conceptual

2.1.- O fes­ti­val é ide­a­li­zado por aman­tes e pro­fis­si­o­nais do mundo cine­ma­to­grá­fico e visa dar visi­bi­li­dade às dife­ren­tes pro­du­ções naci­o­nais. Os Cami­nhos Film Fes­ti­val são um fes­ti­val sin­gu­lar em Por­tu­gal dedi­cado exclu­si­va­mente ao cinema naci­o­nal, nos seus dis­tin­tos regis­tos téc­ni­cos e temá­ti­cos na sec­ção com­pe­ti­tiva Selec­ção Caminhos.

2.2.- Ao nível con­cep­tual os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês carac­te­ri­zam-se por uma ampli­tude de regis­tos que são o fide­digno registo do pano­rama da pro­du­ção cine­ma­to­grá­fica naci­o­nal anual. A ino­va­ção do pro­jecto está no facto de se pro­ce­der ao aco­lhi­mento num único espaço.

2.3.- Os Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês pre­ten­dem ser aquilo que o nome trans­mite, a súmula dos dife­ren­tes cami­nhos que a cine­ma­to­gra­fia naci­o­nal per­corre. Não existe um só cami­nho, disso mesmo nos damos conta quando os pode­mos enu­me­rar, a saber: cinema de autor, cinema comer­cial, cinema para cri­an­ças e a vídeo arte. O cinema por­tu­guês enqua­dra-se nos mais vari­a­dos esca­lões etá­rios e regis­tos esti­lís­ti­cos de que a his­tó­ria do cinema nos pode dar conta.

2.4.- A Selec­ção Ensaios, ao acei­tar obras rea­li­za­das em con­texto de for­ma­ção aca­dé­mica, naci­o­nais e inter­na­ci­o­nais, pre­tende pro­mo­ver os ele­men­tos para a com­pa­ra­ção e com­pre­en­são da cine­ma­to­gra­fia por­tu­guesa no con­texto global.

3.- Sec­ções Com­pe­ti­ti­vas, Júris e Pré­mios Oficiais

3.1.- O fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês é cons­ti­tuído por duas sec­ções com­pe­ti­ti­vas, nome­a­da­mente a Selec­ção Cami­nhos e a Selec­ção Ensaios.

3.2.- As obras a apre­sen­tar em cada uma das sec­ções com­pe­ti­ti­vas serão o resul­tado de uma pré-selec­ção da res­pon­sa­bi­li­dade da orga­ni­za­ção e de um júri expres­sa­mente con­vo­cado para o efeito, nos ter­mos dos Regu­la­men­tos Ane­xos pró­prios de cada secção.

4.- Selec­ção Caminhos

4.1.- Os fil­mes selec­ci­o­na­dos para a Selec­ção Cami­nhos serão ava­li­a­dos por um con­junto de júris e con­cor­rem cumu­la­ti­va­mente, quando reu­ni­das as con­di­ções expres­sas nos Ane­xos ao Regu­la­men­tos de cada júri/​selecção, aos seguin­tes prémios:

-Pré­mios do Júri Caminhos;

-Pré­mio do Júri de Imprensa;

-Pré­mio Don Qui­jote /​Júri IFSS – Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cineclubes

5.- Selec­ção Ensaios

5.1.- Os fil­mes selec­ci­o­na­dos para a Selec­ção Ensaios serão ava­li­a­dos por um júri e con­cor­rem quando reu­ni­das as con­di­ções expres­sas no regu­la­mento desta sec­ção, ao seguinte prémio:

-Pré­mios do Júri Ensaios;

6.- Outros Prémios

Para lá dos pré­mios elen­ca­dos, os fil­mes a con­curso na Selec­ção Cami­nhos e Selec­ção Ensaios, con­cor­rem igual­mente ao Pré­mio do Público. Este pré­mio será entre­gue medi­ante o escru­tí­nio e o cál­culo da média arit­mé­tica pon­de­rada expressa pelos espec­ta­do­res, em bole­tim de voto pró­prio, no final de cada ses­são na Selec­ção Cami­nhos e Selec­ção Ensaios.

6.- Casos Omissos

6.1.- A Comis­são Orga­ni­za­dora do fes­ti­val reserva-se o direito de deci­dir sobre os casos não pre­vis­tos nos dife­ren­tes Regu­la­men­tos, bem como pro­ce­der a neces­sá­rias alte­ra­ções, dando conhe­ci­mento a todos os interessados.

7.- Dis­po­si­ção Final

A ins­cri­ção para pré-selec­ção e par­ti­ci­pa­ção nas dife­ren­tes sec­ções com­pe­ti­ti­vas (Selec­ção Caminhos/​Selec­ção Ensaios) do fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês XXII implica a lei­tura deste Regu­la­mento Ofi­cial bem como a acei­ta­ção dos Ane­xos espe­cí­fi­cos de cada secção.

Coim­bra, 1 de julho de 2017