Regulamento do Prémio D. Quijote

Júri IFFS/​FICC – Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cineclubes

O Pré­mio D. Qui­jote é um pré­mio da IFFS – Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes atri­buído em Fes­ti­vais de Cinema sele­ci­o­na­dos. O Júri FICC em cada Fes­ti­val é com­posto por ciné­fi­los de qual­quer país do mundo, sele­ci­o­na­dos de entre as can­di­da­tu­ras das várias Fede­ra­ções Naci­o­nais de Cineclubes.

O pré­mio con­siste de uma placa e diploma e da pro­mo­ção do filme em todo o mundo atra­vés da rede de cineclubes.

A base para a selec­ção são a filo­so­fia movi­mento cine­clu­bista, como base o Plano de Tabor, dos Direi­tos do Público e da uto­pia Quijote.

1.- Admis­são

Ape­nas os fil­mes legen­da­dos, em Inglês ou Fran­cês, pre­sen­tes na Selec­ção de Cami­nhos são ele­gí­veis para ava­li­a­ção do Júri. Os fil­mes ele­gí­veis deve cum­prir com o regu­la­mento da Selec­ção Caminhos.

2.- Pré­mios

2.1.- O júri atri­bui o Pré­mio D. Qui­jote ao melhor filme da sec­ção com­pe­ti­tiva Selec­ção Cami­nhos. Não há pré­mios ex aequo. O Pré­mio con­siste no diploma.

2.2.- O júri pode dar uma Men­ção Hon­rosa a um outro filme notá­vel em com­pe­ti­ção. O pré­mio con­siste ape­nas num diploma.

2.3.- Uma cópia da des­cri­ção da rede de Dis­tri­bui­ção da FICC Dis­co­ve­ries” jun­ta­mente com a lista de fil­mes pre­mi­a­dos deverá ser entre­gue ao rea­li­za­dor. Esta cópia será emi­tida pelo Júri FICC.

2.4.- Os fil­mes que já foram emi­ti­dos pelos outros FICC Júris não podem ser con­si­de­ra­dos pelo júri do Fes­ti­val. O Júri deverá veri­fi­car cui­da­do­sa­mente a lista de fil­mes premiados.

3.- O Júri FICC- Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes – Pré­mio D. Quijote

3.1.- Os mem­bros do júri deve­rão pre­pa­rar uma decla­ra­ção para a ceri­mó­nia de entrega de pré­mios, expli­cando as suas deci­sões. Durante a ceri­mó­nia da entrega de pré­mios, o Pre­si­dente do Júri apre­senta um resumo dos obje­ti­vos do Pré­mio D. Quijote.

3.2.- Ime­di­a­ta­mente ao final do fes­ti­val, o júri deve infor­mar a FICC sobre os fil­mes pre­mi­a­dos. A infor­ma­ção a enviar será: título ori­gi­nal, Inglês /​Fran­cês título, direc­tor, país, ano de pro­du­ção, dura­ção, ende­reço do pro­du­tor ou distribuidor.

3.3.- Cada mem­bro do júri tem que escre­ver um artigo sobre o fes­ti­val. Este artigo reflete a visão pes­soal do mem­bro do júri e deve dar uma decla­ra­ção sobre o valor do fes­ti­val para os cine­clu­bes e/​ou cine­mas sem fins lucrativos.

3.4. Este artigo será publi­cado na revista da fede­ra­ção naci­o­nal que dele­gou o mem­bro do júri. O mesmo artigo deve ser envi­ado para FICC (em Inglês ou ver­são em fran­cês), para publi­ca­ção na News­let­ter da FICC e na página ini­cial do FICC. Os arti­gos deve­rão ser escri­tos em Inglês ou Fran­cês, o mais tar­dar três sema­nas após o fes­ti­val. O pre­si­dente do júri deve con­tac­tar o direc­tor, ou o repre­sen­tante dos fil­mes pre­mi­a­dos, para rece­ber uma cópia dos fil­mes para arquivo da FICC.

4.- Dis­po­si­ções Complementares

4.1. Todos os fil­mes pre­mi­a­dos pelos Júris FICC são lis­ta­dos no catá­logo de Cinema da rede de dis­tri­bui­ção da FICC. É neces­sá­ria uma cópia do filme para pro­mo­ver o filme entre as fede­ra­ções-mem­bro da FICC.

4.2. O mem­bro do júri do país em que o fes­ti­val acon­tece actua como secre­tá­rio do júri e deve enviar o seguinte mate­rial para FICC para seu arquivo:
 — Catá­logo do Festival;
– Jus­ti­fi­ca­tiva do júri para o pré­mio D. Qui­jote e da Men­ção Honrosa;
– Uma foto­có­pia dos diplo­mas con­cluí­dos (D. Qui­jote e Men­ção Honrosa).

Coim­bra, 1 de Julho de 2016